Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Kadhafi recruta mercenários para reprimir revolta

Kadhafi recruta mercenários para reprimir revolta

Centenas de jovens tuaregues do Mali e do Níger, incluindo ex-rebeldes, foram recrutados por Muammar Kadhafi para ajudarem na repressão da revolta popular que já controla grande parte da Líbia, afirmaram hoje responsáveis regionais do Mali. “Estamos mais do que preocupados”, disse à agência de notícias AFP Abdu Salam Ag Assalat, presidente da assembleia regional de Kidal, no nordeste do Mali, explicando que esses jovens “estão a subir em massa” para a Líbia.

Quer Muammar Kadhafi “resista ou caia”, o responsável regional teme consequências para toda a região, resultantes do envolvimento dos mercenários do Mali e do Níger. “É muito perigoso para nós (…), isso acabará por ter um impacto para a nossa região”, afirmou Abdou Salam Ag Assalat, uma opinião também partilhada pelo autarca de Kidal, Arbacane Ag Bazayak, que, citado pela AFP, disse temer que esses jovens venham a ser “um perigo para toda a sub-região”.

Dólares e armas

Abdu Salam Ag Assalat explicou que as autoridades regionais “estão a tentar dissuadi-los” em deixarem o Mali rumo a Líbia, sobretudo os antigos rebeldes, uma tarefa “nada fácil” porque “para eles há dólares e armas”. “Tudo isso assusta-me, verdadeiramente, porque um dia [os jovens] vão voltar com as mesmas armas para desestabilizar a região do Sahel”, afirmou o responsável.

Abdu Salam Ag Assalat garantiu que na Líbia já estará “um ex-líder dos rebeldes tuaregues do Mali” e que há toda uma rede organizada que trata da viagem destes jovens: “Kadhafi (…) sabe quem chamar, eles fazem viagens em grupos. É no Chade que parece haver uma ponte aérea”.

Mercenários procuram-se

Os tuaregues são um povo nómada de cerca de 1,5 milhões que está dividido entre o Níger, Mali, Argélia, Líbia e o Burkina Faso. O líder líbio, Muammar Kadhafi, é acusado de ter contratado mercenários africanos para reprimir a revolta popular, iniciada a 15 de fevereiro, e espalhar o terror no país, mas esta informação ainda não pode ser confirmada.

Há no entanto, vários relatos de testemunhas – incluindo de antigos membros do regime de Kadhafi – que dão conta do envolvimento de mercenários africanos na repressão da oposição líbia.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!