Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Jovem rapta e viola criança de 10 anos na Matola

Um indivíduo de 30 anos de idade está a contas com as autoridades policiais, acusado de raptar e abusar sexualmente de uma criança de 10 anos de idade, no bairro Bunhiça, no município da Matola.

O indiciado, encarcerado na 5a esquadra da Polícia da República de Moçambique (PRM) na chamada cidade satélite de Maputo, é pai de dois filhos, dos quais uma menina de nove anos.

Porém, ele ignorou facto de que a rapariga tem quase a idade da sua filha, ou seja, podia, por similaridade, ser sua descendente.

Até ai fecho desta edição a Polícia ainda não tinha os exames médicos disponíveis, o que significa que a prisão do indiciado baseou-se nas declarações da ofendida e da família da mesma, bem como na confissão do incriminado.

De acordo com os parentes da miúda, esta desapareceu do convívio familiar durante duas semanas e estava nas mãos do suposto sequestrador e estuprador.

A vítima acusa o seu ofensor de a ter ameaçado repetidas vezes, alegando que caso contasse a alguém sobre o que se passava entre os dois ou tentasse fugir, ele mataria toda a família.

A miúda, cuja cédula pessoal atesta ter nascido em 2006, vive com a avó e a mãe na província de Nampula.

“Ele obrigava-me a tirar a roupa e estuprou-me várias. Obrigava-me a fazer tudo o que ele queria”, disse a menor, acrescentando que chegou à casa do jovem que a desflorou a convite de uma amiga.

Ela e a Polícia não esclareceram como é que ficou retida na residência do jovem, mas o @Verdade apurou que o acusado já vinha assediando a sua vítima e para tê-la em sua casa combinou com a “amiga” aludida no caso.

Por sua vez, o jovem assumiu ter levado a criança à cama, mas negou que houve cópula forçada, acusando a menina de ter mentido sobre a sua verdadeira idade. “Ela disse-me que tinha 17 anos de idade” e estava prestes “a fazer 18 anos. Não raptei a ela nem violei. Conversámos e tendemo-nos”.

Num outro desenvolvimento, o visado contou que a rapariga o conquistou e aceitou porque gosta dela. “Eu amo e gosto muito dela de verdade. E sei que ela também gosta de mim, mas há pessoas” que a manipulam.

Ignorando a diferença de idade entre ele e o miúda, o pretenso predador sexual predispôs-se a casar com a ofendida, o que foi literalmente rejeitado pela mãe, que implora pela justiça neste caso.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!