Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

João Cabaço está doente: artistas moçambicanos realizam concerto em sua solidariedade!

Se o estimado leitor investir parte do seu tempo, no próximo sábado, nove de Fevereiro, a fim de participar na Festa da Música Moçambicana – que terá lugar nos palcos do Big Brother, em Maputo – estará a prestar uma ajuda necessária para a recuperação da saúde do célebre artista moçambicano, João Cabaço. Perto de 20 cantores, muitos dos quais célebres na cena da canção moçambicana, através do seu génio, irão associar sinergias com acções concretas para a materialização do grande desejo. Os fundos colectados serão revertidos à favor do enfermo. O seu apoio fará muita diferença…

 

As próximas linhas deste artigo desenvolvem-se por pura conveniência. O importante já foi escrito – há quatro meses o célebre artista moçambicano, João Cabaço, está doente. Neste momento, ainda que aparentemente, nunca é tarde para prestar um contributo em prol de uma vida, muito em particular a de João Cabaço.

 

A complicação da saúde do músico é enorme, demandando, por essa razão, o contributo de todos nós. De acordo com informações avançadas pelo seu empresário, Júlio Sitoe, ou simplesmente Julinho, o autor da célebre canção Xitimela está gravemente doente.

Não é obra do acaso que a organização do evento escolheu o mote “Salve uma vida – João Cabaço”, para o concerto que será realizado no dia nove de Fevereiro, a partir das 16.00H. Os ingressos custam 300 meticais.

Falando à imprensa, o empresário de João Cabaço considerou que, “infelizmente, temos o hábito de fazer homenagens póstumas às pessoas de quem admiramos, o que (muitas vezes, ainda que não seja mau) não tem beneficiado em nada as pessoas visadas.

É nesse sentido que se produz uma compreensão de acordo com a qual se a pessoa estiver em dificuldades deve ser apoiada em tempo útil”.

Porque a precariedade social dos artistas moçambicanos – muito em particular, quando se trata de situações de doença e de morte – é um problema comum e penoso, pensa-se em explorar o caso de João Cabaço para instaurar um movimento de solidariedade contínua entre os músicos.

Além de os custos financeiros para apoiar o processo de recuperação da saúde de João Cabaço serem inestimáveis, de acordo com Julinho, também são muito onerosos porque se tratando de uma clínica, o internamento do doente agrava-se continuamente enquanto o mesmo permanecer nas unidades sanitárias.

A verdade é que “o Cabaço está muito mal. Está debilitado e precisa de uma recuperação rápida, algo que se prevê que deverá levar uns três ou quatro meses”.

O @Verdade ouviu alguns artistas que irão participar no evento para a angariação do dinheiro necessário para dar-se continuidade ao tratamento de Cabaço. Saiba, então, quais é que são os seus argumentos em relação à relevância de se apoiar o músico João Cabaço, participando no evento em alusão.

Precisamos de desenvolver o espírito de solidariedade”, Hortêncio Langa

“Como todos sabemos, o João Cabaço é um grande artista, uma pessoa muito querida pelo público moçambicano. É por isso que pensamos que auxiliar o processo da melhoria da sua saúde é um dever de todos nós, os moçambicanos. Queremos que haja mais pessoas a prestar apoio ao nosso amigo”.

“Não há dúvida de que qualquer pessoa numa situação difícil, de carência e necessidade merece um apoio. Nesse sentido, precisamos de desenvolver o espírito de solidariedade para com os outros. Felizmente, neste caso específico, estamos a falar da contribuição que os amigos de João Cabaço irão realizar em seu benefício”.

“Queremos ajudar na sua recuperação. Mas é necessário que encontremos uma plataforma de trabalho colectivo de modo que nos possibilite criar condições para a existência de um sistema de interajuda. Isso é de importância vital”.

Falta-nos interesse pelas nossas lendas na música”, Noémia

“Para mim, seria uma honra muito grande se nós tivéssemos de realizar um concerto para João Cabaço numa situação em que ele estivesse bem. No entanto, infelizmente, a situação é contrária. Como se percebe, eu sou muito mais nova em relação aos outros artistas. Mas cresci a escutar as músicas de João Cabaço, sendo que é por essa razão que, com todo o prazer, estou preparada para dar o meu contributo realizando o concerto para a angariação do dinheiro necessário para salvar a sua vida”.

“Espero que muitos mais jovens, da minha geração, se sintam atraídos por esta necessidade de dar o seu contributo para a materialização deste desiderato que é a melhoria da condição da saúde de Cabaço. Penso que seria muito importante que nós, os jovens, começássemos a interessarmo-nos pelos artistas que são as nossas lendas, ainda em vida”.

Falta-nos um plano de segurança social do artista”, Carlos Gove

“Torna-se um concerto de solidariedade a partir do momento em que os músicos se juntam, com uma diversidade em termos de estilos musicais, por uma mesma causa. Não serão expostas apenas as músicas compostas ou interpretados por João Cabaço. Haverá temas originais de cada um dos cantores que fará parte do evento”.

“Acredito que o concerto (também) será um momento de reflexão em volta da música. Vamos instaurar um grande movimento, porque esperamos que – aliado a este tipo de causas – este não seja o último show, mas o primeiro de muitos. Será o início de uma manifestação sociocultural em que procuraremos perceber de que maneira podemos preservar a vida de um artista, incluindo a necessidade de conseguir um plano de segurança social”.

Está-se diante de um problema generalizado”, Roberto Isaías

“É uma grande satisfação participar nesta iniciativa porque também partilhei palcos e pautas com João Cabaço. Por várias vezes, interpretei as suas composições e, como músico, sinto a necessidade desse movimento filantrópico para que se opere a restauração da sua saúde”. “Esse tipo de acções não resolverá os problemas dos músicos. A verdade é que nós estamos a fazer a nossa parte que caso seja associada aos papéis de outros agentes e instituições pode constituir uma grande ajuda”. “O que nós faremos servirá para despertar a atenção de pessoas singulares e colectivas – como algumas instituições – para esta causa. É certo que devia existir uma instituição que zelasse por essas situações. Este problema não somente é dos artistas, mas é de toda uma indústria criativa e cultural que carece de instituições operacionais para responderem a determinadas demandas humanas”.

Refira-se que personalidades como José Mucavel, Roberto Chitsondzo, Mingas, Elsa Mangue, Stewart Sukuma e Costa Neto são outros músicos que irão participar no evento.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!