Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Xiconhocas da semana: Jeremias Tchamo, Motorista assassino; Yá-Qub Sibindy

Xiconhoca da semana: Mulher que trancou as filhas em casa e ateou fogo; Jorge Khalau prometeu...

Os nossos leitores elegeram os seguintes xiconhocas na semana finda:

Jeremias Tchamo

Os dirigentes que transformam as empresas públicas em suas propriedades privadas, com hortas que podem colher sempre que lhes apetecer, são xicos. E assim chama-se Jeremias Tchamo, administrador financeiro das Linhas Aéreas de Moçambique (LAM), que, destituído de quaisquer princípios éticos, transformou esta empresa numa espécie de um quadrúpede com várias tetas para amamentar, de uma única vez, os seus familiares. Este xico é um autêntico promotor de nepotismo: sem olhar para os lados, ele indicou o seu irmão e outros parentes para viverem à custa das LAM. A falta de vergonha de Jeremias Tchamo foi de tal sorte que ele e o seu irmão criaram empresas para através delas delapidarem a companhia de bandeira. Será que ninguém deste Governo consegue travar o afilhadismo e o amiguismo protagonizados por Tchamo, eis a pergunta dos nossos leitores.

Motorista que fugiu depois de “matar” uma pessoa em Maputo

Na amanhã de 24 de Julho, na cidade de Maputo, na zona baixa, no cruzamento entre as avenidas Mohamed Siad Barre e Fernão Magalhães, um motorista que conduzia uma camioneta com a matrícula MMM 87– 91 causou a morte de uma cidadã e fugiu sem prestar socorro à vítima. Consta que o tal xico seguia na direcção Mohamed Siad Barre/Avenida 25 de Setembro, tendo embatido violentamente na viatura da senhora falecida, que que circulava pela Avenida Fernão Magalhães. Faminto, o xico devia estar a pensar nas batatas que transportava na sua camioneta e no dinheiro que iria colectar com o serviço que prestava à comerciante que viajava com ele. Nós não vimos, mas a Polícia diz que o visado está detido e o processo com vista a fazer com que o xico seja responsabilizado pelos seus actos já está em curso. Os nossos leitores consideram que se se provar que o dito cujo é culpado, ele deve apanhar uma pena máxima e ser interdito de conduzir por longos anos.

Yá-Qub Sibindy

Yá-Qub Sibindy, presidente do Partido Independente de Moçambique (PIMO), era um homem bastante feliz depois de formalizar a sua candidatura junto do Conselho Constitucional (CC) para as eleições presidenciais de 15 de Outubro próximo. Depois de advogar a paz, a democracia, a estabilidade social e a distribuição equitativa e justa da riqueza nacional como os principais pilares do seu manifesto eleitoral, bastou a sua candidatura ser recambiada pelo CC para destilar veneno contra a Frelimo cujo candidato ele próprio disse que apoiava. Yá-Qub Sibindy é mesmo um xico que quando a fome lhe soube à cabeça não sabe pensar, nem o que diz e tão-pouco sabe reter a língua no seu lugar para evitar proferir impropérios publicamente. Agora, ele inventou a ideia de pretender juntar-se ao “Movimento dos Abstencionistas de Moçambique”, ou seja, daqueles xicos que não conhecem o valor do voto.

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

error: Content is protected !!