Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Jean Ping defende inclusão da juventude na formulação de políticas de governação

O presidente da Comissão da União Africana, Jean Ping, afirma que os ventos de mudança que se registam em alguns países do norte de África são um indicador de que a boa governação está no centro das exigências da juventude.

Por isso, exorta os lideres africanos a considerarem este aspecto, trabalhando no sentido de integrar a juventude no processo de governação democrática e inclusiva.

Jean Ping falava, Quarta-feira, em Malabo, a capital da Guiné Equatorial, na abertura da XV Cimeira do Fórum de Revisão dos Pares (APR), que juntou cerca de 30 Chefes de Estado e de Governo dos países membros desta iniciativa, entre os quais o presidente moçambicano, Armando Guebuza.

O evento decorreu a margem da Conferência dos Chefes de Estado e de Governo da União Africana. Na sua curta declaração, Jean Ping defendeu que o Mecanismo Africano de Revisão de Pares (MARP) constitui um instrumento através do qual os Estados podem garantir o estabelecimento de políticas de governação inclusiva e participativa.

Segundo o Presidente da Comissão da UA, os vários intervenientes da vida política e socio-económica devem encarar o MARP como uma oportunidade para realização desse desidrato.

Por sua vez, o presidente do Painel do APR, o Professor Mohammed Séghir Babés, pediu aos Chefes de Estado e de Governo para criarem mecanismos visando capacitar cada vez mais esta instituição.

Para o efeito, o Professor Babés pediu para que os líderes africanos tomem uma decisão, dando ao presidente do Painel o mandato de celebrar acordos com alguns países membros, tendo em vista a autonomização da instituição.

Relativamente aos progressos alcançados pelo painel da APR, Babés destacou o facto de um número crescente de países africanos estarem a aderir ao Mecanismo de Revisão de Pares (MARP).

Neste aspecto, ele qualificou a entrada da Guiné Equatorial no MARP como sendo um novo ciclo nesta iniciativa criada em 2003, a luz, da Nova Parceria para o Desenvolvimento de Africa (NEPAD).

Actualmente integram o MARP a Argélia, Angola, Benin, Burkina Faso, Camarões, Congo, Djibouti, Egipto, Etiópia, Gabão, Gana, Quénia, Lesoto, Libéria, Malawi, Mali, Mauritânia, Maurícias, Moçambique, Nigéria, Ruanda, São Tome e Príncipe, Senegal, Serra Leoa, África do Sul, Sudão, Tanzânia, Togo, Uganda e Zâmbia.

Entretanto, a XVII Cimeira dos Chefes de Estado e de Governo da UA arranca na manhã desta Quinta-feira, no Complexo de Sipopo, arredores de Malabo, sob lema “Acelerar o Empoderamento da Juventude, para o desenvolvimento sustentável”.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!