Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Islândia rejeita reembolso da verba antecipada por GB e Haia após falência do Icesave

Os islandeses rejeitaram em massa, no sábado, em referendo, por mais de 90%, o acordo destinado a reembolsar a Grã-Bretanha e a Holanda após a falência do banco online Icesave, segundo resultados oficiais anunciados neste domingo.

A aprovação do “Não”, mais forte que a prevista nas pesquisas, foi imediatamente reconhecida pelo governo. A rejeição ao acordo financeiro pelos islandeses “não foi surpresa”, declarou a primeira-ministra Johanna Sigurdardottir depois de um anúncio dos resultados parciais. Isso “não perturba o governo”, continuou ela, durante pronunciamento, transmitido pela rádio e televisão públicas RUV, destacando que seu país se esforçava há semanas para chegar a um novo acordo com Londres e Haia para resolver a controvérsia relacionada à quebra do Icesave.

O governo reconheceu imediatamente a vitória do “não” em comunicado. O texto, submetido à consulta popular, consistia em chegar a um acordo para o pagamento, até o ano de 2024, da dívida de 3,9 bilhões de euros (5,3 bilhões de dólares) contraída com a Grã-Bretanha e Holanda para indenizar os clientes britânicos e holandeses do banco islandês, que quebrou em outubro de 2008.

O ministro britânico das Finanças, Alistair Darling, declarou-se neste domingo pronto a “ser flexível” nas negociações sobre um novo acordo relacionado à falência do Icesave. “Não podemos simplesmente ir a um pequeno país como a Islândia … e dizer: Reembolsem-nos imediatamente. Tentamos ser razoáveis”, declarou Darling no canal de televisão BBC One. “O ponto fundamental para nós é receber o dinheiro de volta… mas seremos flexíveis”, acrescentou, lembrando que o pagamento precisará de “muitos, muitos anos”.

No total, 230.000 islandeses foram chamados no sábado para se pronunciarem sobre o acordo de pagamento, por Reykjavik, do dinheiro adiantado por Londres e Haia para indenizar seus cidadãos lesados com a quebra do Icesave, em outubro de 2008.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!