Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Hospitais públicos paralisados por greve no Burkina Faso

A quase totalidade dos centros de saúde públicos do Burkina Faso estão paralisados desde terça-feira por uma greve de 72 horas, convocada pelo Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Saúde Humana e Animal (SYNTSHA).

Esta greve, que deve terminar quinta-feira, acontece numa altura em que o país está confrontado com uma epidemia de dengue que já fez cerca de 20 mortos. Nos centros de saúde, os pacientes não beneficiaram de cuidados, provocando a ira nos acompanhantes.

“Penso que (os médicos grevistas) devem pensar na vida das populações. Os nossos pacientes sofrem e não há mesmo uma enfermeira para a consulta”, indignou-se Mariam Sanfo, que acompanhava a sua filha atingida de paludismo, no hospital do sector 30 de Ouagadougou, onde não se via nenhum pessoal de saúde desde terça-feira à noite.

No seu caderno reivindicativo, os agentes de saúde exigem, entre outros, a cobertura da saúde dos trabalhadores, as questões de salários e subsídios e a aplicação da lei 81 e a cessação das “agressões” perpetradas contra os seus colegas no exercício da sua profissão.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!