Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

HIV/SIDA: Primeira Dama defende novas formas de transmissão de mensagens

A Primeira Dama de Moçambique, Maria da Luz Guebuza, defende a necessidade de se rever a forma de transmissão de mensagens de prevenção e combate ao HIV/SIDA no país.

Para Maria da Luz Guebuza, o maior problema reside em quem transmite as mensagens de prevenção e combate a esta pandemia, que afecta 1.6 milhão dos pouco mais de 20 milhões de moçambicanos.

Segundo a Primeira Dama, o facto de adolescentes e jovens estarem a difundir as mensagens de prevenção da infecção pelo vírus do HIV a todos os grupos etários da sociedade (adolescentes, jovens e adultos) pode estar a afectar a forma como as pessoas acolhem a informação.

A Esposa do Presidente da Republica acredita que os adultos podem não estar a acolher as mensagens transmitidas pelos seus próprios filhos, sobrinhos ou netos, porque o HIV/SIDA é uma questão sensível.

“Temos que verificar que muitas vezes as pessoas que difundem a mensagem de prevenção e combate são muito jovens, são activistas, nossos adolescentes e jovens. Os adultos talvez não vêem com muito bons olhos as mensagens transmitidas por jovens e adolescentes, porque eles estão a falar de questões muito sensíveis”, disse.

Maria da Luz Guebuza considera que os jovens devem transmitir mensagens e informações a pessoas da sua faixa etária, enquanto isso os líderes comunitários e religiosos deverão trabalhar com os adultos, para que as mensagens tenham impacto desejado, concorrendo, desta feita, para a redução das infecções.

“Temos que rever um bocadinho quem tem que transmitir estas mensagens. Os líderes comunitário e religiosos podem transmitir essas mensagens. Os jovens podem trabalhar com outros jovens da sua idade utilizando a linguagem que eles utilizam no dia-a-dia”, defendeu.

Maria da Luz Guebuza fez este pronunciamento no fim da sua visita de quatro dias de trabalho a província de Maputo, onde escalou algumas localidades dos distritos de Namaacha, Boane e Matutuine.

Nesses locais, a Esposa do Chefe do Estado transmitiu às populações mensagens de prevenção contra o HIV/ SIDA, bem como de outras doenças como a cólera e malária, essencialmente, para além de ter incentivado os cidadãos a trabalharem arduamente para combater a pobreza e desenvolver o pais.

Maria da Luz Guebuza ouviu as preocupações das populações, tendo nalguns casos apresentado possíveis soluções para casos pontuais.

No fim de cada encontro com as comunidades, a Primeira Dama prometeu canalizar as preocupações das populações às autoridades competentes.

Em Moçambique, a transmissão do HIV/SIDA é, de forma geral, atribuída às relações sexuais sem protecção, porém existem outras formas de contrair o vírus, como através de objectos cortantes não esterilizados.

Moçambique tem uma taxa de prevalência de HIV de 16 por cento.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!