Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Helicópteros sírios bombardeiam redutos rebeldes, diz ONU

Os monitores da ONU disseram, Segunda-feira, que os helicópteros do governo sírio bombardearam redutos rebeldes ao norte de Homs, e pediram “acesso imediato e irrestrito” às zonas de conflito, onde acredita-se que haja mulheres e crianças retidas.

O mediador internacional Kofi Annan também disse estar gravemente preocupado com a violência em Homs e Haffeh, localidade de maioria sunita, perto da costa mediterrânea, onde o Departamento de Estado dos EUA afirmou temer um “potencial massacre”.

Os observadores da ONU, encarregados de monitorar um cessar-fogo que foi declarado em Abril, mas não conteve a violência, passaram agora a catalogar matanças, bombardeios e confrontos nos quais muitas centenas de sírios já morreram.

“Os observadores da ONU relataram pesados bombardeios em Rastan e Talbiseh, a norte de Homs, com disparos de artilharia e morteiros, e também com disparos de helicópteros, metralhadoras e armas menores”, disse Sausan Ghosheh, porta-voz da ONU, em nota.

Foi a primeira vez que os monitores da ONU verificaram as repetidas acusações feitas por activistas sobre o uso de helicópteros para bombardear indiscriminadamente redutos rebeldes.

Ghosheh disse que os observadores “também receberam relatos de um grande número de civis, incluindo mulheres e crianças retidas dentro de Homs, e estão a tentar mediar a sua retirada”.

A ONU relatou também que o Exército Sírio Livre (grupo rebelde) capturou soldados do Exército. De acordo com o Observatório Sírio de Direitos Humanos, com sede na Grã-Bretanha, 63 civis foram mortos, Segunda-feira, em toda a Síria, sendo quase metade na província de Idlib (norte).

Houve 21 mortes entre soldados e membros das forças de segurança, a maioria em atentados a bomba realizados pelos rebeldes, acrescentou o grupo. Em Deir al Zor (leste), dez pessoas morreram na explosão de um carro-bomba, segundo o Observatório.

Outros activistas disseram que o número de mortos passou de 16. A agência estatal de notícias da Síria noticiou, Segunda-feira, os funerais militares de 26 pessoas “alvejadas por grupos terroristas armados ao realizarem o seu dever nacional”.

Um porta-voz de Annan disse que ele está gravemente preocupado com os novos relatos de violência e com a escalada dos combates por parte das forças do governo e da oposição.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!