Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Guebuza recebido como rei em Manica

O candidato da Frelimo a Presidência da República, Armando Guebuza, goza de muita popularidade e simpatia no seio da população moçambicana, facto que voltou a se evidenciar na província de Manica, a avaliar pela forma como foi calorosa e efusivamente recebido nesta parcela do país. Esta província do Centro de Moçambique é a última a ser escalada por Guebuza, de um total de onze, desde o lançamento da campanha eleitoral, a 13 de Setembro passado. Guebuza entrou segunda-feira nesta província, ido de Sofala, através do Posto Administrativo de Nhampassa, no distrito de Báruè, trabalhando, de seguida, no Posto Administrativo de Chuala-Honde, no mesmo distrito, para depois rumar a capital provincial, Chimoio.

Em todos estes locais, Guebuza foi recebido como se fosse um Rei, mas em Chimoio, onde a sua chegada foi baptizada com uma chuva miúda, o ambiente foi muito mais espectacular. Várias centenas de pessoas transportadas também em centenas de viaturas, motociclos e bicicletas, constituíram uma caravana que despertou atenção de todos, desde o aeroporto local até ao centro da cidade, um troço de pouco mais de cinco quilómetros, onde orientou um grandioso “showmicio” de campanha rumo as eleições do próximo dia 28 de Outubro, no qual ele pediu a observância de um minuto de silêncio pela passagem (19 de Outubro) do 23/o aniversário da morte de Samora Machel, o primeiro Presidente de Moçambique independente.

Foi também em Chimoio que Guebuza dançou com uma cidadã que se identificou pelo nome de Otília, momentos depois dela ter solicitado a palavra para manifestar o seu regozijo com a forma como Guebuza conseguiu, num único mandato de cinco anos, mudar o rumo dos acontecimentos em Moçambique. O candidato da Frelimo concorre para um segundo mandato na Presidência da República. Manica quer manter Guebuza no poder para continuar a receber fundo dos “sete milhões” em Nhampassa e Chuala-Honde, zonas predominantemente rurais, as populações falaram de muitas coisas “boas” que Guebuza introduziu, mas destaque vai para o fundo dos “sete milhões de Meticais”, fundo de investimento de iniciativas locais alocados pelo Governo Central aos distritos para incentivar a produção alimentar e geração de emprego.

Maria Helena Niquice e David Carlos foram ao pódio, no showmício de Nhampassa, para, entre outras realizações, destacarem os efeitos do fundo. Com efeito, o distrito de Báruè, e não só, garante votar em Guebuza e na Frelimo porque quer continuar a ver a província de Manica a ter mais do que 6.600 postos de trabalho criados desde a institucionalização deste fundo, em 2006. Mais de 2.340 projectos foram financiados, beneficiando indirectamente mais de 114 mil pessoas, num esforço exercido por 716 associações e 1.507 singulares, graças a este mesmo fundo.

O fundo permitiu ainda a aquisição de oito tractores, 914 cabeças de gado bovino e 53 motobombas para a irrigação dos campos. Manica quer ainda continuar a ver Guebuza e a Frelimo a frente dos destinos da Nação moçambicana porque quer também ver continuadas melhorais na Saúde, Educação, bancarização da economia, entre outras áreas. Guebuza reitera que vai continuar a trabalhar pelo bem dos moçambicanos O candidato da Frelimo reconheceu em todos os showmícios que orientou que “o que foi feito nos últimos cinco anos ainda não cobre a todos os moçambicanos”.

“Temos a obrigação de continuar a trabalhar para melhorar a vida de todos. Ainda não chegamos lá onde queremos chegar. Se votarem em mim e na Frelimo será implementado mais um manifesto eleitoral que vai mudar muito mais a vida dos moçambicanos”, prometeu Guebuza, no showmício de Chuala-Honde. Guebuza garantia, assim, continuar a alocar o fundo dos “sete milhões de Meticais”, colocar a presidência junto das populações, descentralizar a gestão dos recursos humanos e materiais no Estado, promover a auto-estima, combater a corrupção, a apatia, o espírito do deixa-andar, o abuso do poder, entre outros males que assolam principalmente as instituições públicas. O candidato da Frelimo fez entender que não vê nenhuma razão de desistir de trabalhar desta maneira, por se sentir dentro de um ambiente favorável.

“Tenho a sorte de dirigir um povo excepcional, por isso é que neste mandato se fez o que o próprio povo tem estado a testemunhar. Mas queremos fazer mais”, frisou Guebuza. Terça-feira, Guebuza trabalhou no distrito de Machaze e Gondola, para depois regressou a Chimoio onde tem agendado um encontro com personalidades influentes.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!