Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Guebuza recebe mais um prémio por promover a Revolução Verde em Moçambique em prol da segurança alim

O presidente moçambicano, Armando Guebuza, acaba de ser uma vez mais galardoado com um prémio de ouro que lhe foi atribuído pela Comunidade de Estados da Africa Oriental e Austral (COMESA) em reconhecimento do seu papel na promoção da Revolução Verde em Moçambique e pelo facto do seu governo estar a injectar fundos para o desenvolvimento acelerado das zonas rurais, através do Fundo de Investimento e Iniciativas Locais (FIIL), vulgo “Sete Milhões”.

A atribuição deste prémio foi anunciada pelo Presidente do Conselho Governativo do FANRPAN e presidente da COMESA, Sindiso Ngwwenha, no decurso duma audiência que lhe foi concedida esta tarde pelo estadista moçambicano no seu Gabinete de Trabalho em Maputo.

A atribuição dos fundos para o desenvolvimento, neste caso Sete Milhões, são uma iniciativa inédita pelo menos em Africa, e tem sido muito aplaudida em todo o mundo como prova da determinação de Guebuza em resgatar milhões de seus compatriotas que vivem em condições muito difíceis, e que neste caso é a maioria dos mais de 20 milhões de moçambicanos. Os que o aplaudem esta iniciativa destacam que esta sua decisão quebra com o que é comum no continente, que é um verdadeiro esquecimento pelos governos da quase tragédia em que vivem os camponeses africanos.

O FANRPAN é uma organização vocacionada à investigação de métodos que possam concorrer para o aumento da produção agrícola, daí que os seus timoneiros se tenham sentido impelidos a atribuir um prémio ao Presidente Guebuza, dado que as suas políticas condizem com as que são seguidas por aquela organização, cuja sigla traduzida de inglês para português, quer dizer Rede de Investigação Agrícola e Recursos Naturais Refira-se que este prémio surge volvido menos de uma semana após a atribuição de um outro devido ao seu empenho na promoção do género.

Trata-se do prémio “Nandi”, uma estatueta inspirada na história de uma mulher africana que enfrenta desafios na vida social, política e económica e que foi atribuído a Guebuza na sexta-feira última. O prémio foi anunciado a imprensa, pela Directora Executiva da “Femmes África Solidarité”, Bineta Diop, momentos depois de uma audiência concedida pelo estadista moçambicano, para este mesmo fim.

A COMESA também decidiu atribuir um premi de bronze a Celina Cossa, presidente da União Geral de Cooperativas, pelo seu engajamento e dedicação que tem dado as mulheres na sua participação para a produção alimentar.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!