Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Guebuza na investidura de Mutharika

Bingu wa Mutharika é empossado Sexta-feira, em Blantyre, para um segundo e último mandato de cinco anos após vencer as eleições presidenciais realizadas na última Terça-feira, as quartas gerais desde a introdução do multipartidarismo no Malawi em 1994.

Mutharika sucede a si próprio e, no sufrágio de 19 Maio último, superou o veterano John Thembo, do Malawi Congress Party (MCP), apoiado pelo ex- Presidente Bakili Muluzi, cuja sua tentativa de concorrer a estas (e futuras) eleições foi considerada inconstitucional pela justiça malawiana exactamente na véspera do sufrágio.

Os mais recentes dados sobre a contagem de votos, quando já estão apurados mais de 50 por cento dos votos, indicam claramente que Mutharika ganhou as eleições presidenciais e o seu Partido, o DPP (DemocraticProgressive Party), venceu as legislativas. Com efeito, segundo resultados já apurados pela Comissão Eleitoral, Mutharika totaliza já cerca de 2.500.000 votos, o que representa mais de 65 por cento dos votos escrutinados, enquanto Tembo, da oposição, conta com pouco mais de 1.200.000 votos, correspondentes a mais de 30 por cento.

A Comissão Eleitoral, que trabalha a todo o gás desde a noite de Terça-feira, após o fecho das urnas, promete anunciar ainda esta noite ou madrugada os resultados finais, de modo que a investidura de Mutharika ocorra na Sexta-feira, conforme previsto. A cerimónia de investidura, que terá lugar no Kamuzu Stadium, em Blantyre, vai contar com a participação de Chefes de Estado e de Governo africanos, sobretudo da região da Comunidade de Desenvolvimento da Africa Austral (SADC), entre outros convidados.

O Presidente moçambicano, Armando Guebuza, um dos principais convidados, é esperado Sexta-feira em Blantyre para assistir a tomada de posse de Mutharika, ao que após a sua breve estada no Malawi deverá regressar ao país para retomar a “Presidência Aberta e Inclusiva” que está a efectuar à província central da Zambézia. Outros altos dignitários da região que garantiram já a sua participação na cerimónia incluem o Presidente zimbabweano, Robert Mugabe, e o Rei Mswati III, da Swazilândia. A Africa do Sul estará representada, não se sabendo ainda a que nível.

As projecções quase finais dos resultados das eleições legislativas, que tiveram lugar em simultâneo com as presidenciais, apontam para uma vitória do DPP, de Mutharika, embora sem maioria absoluta, segundo indicia o escrutínio de mais de 50 por cento de votos já processados. O DPP garantiu já 53 assentos, os independentes 15, UDF 11 e o MCP 7 dos 193 assentos da Assembleia Nacional. Estas quartas eleições multipartidárias malawianas são consideradas pelos observadores internacionais que acompanharam o processo as mais ordeiras e pacíficas desde 1994.

Nas suas declarações preliminares, a Commonwealth e a União Europeia consideram que houve uma participação massiva dos eleitores e o processo de votação decorreu de forma impressionante. John Kufor, chefe do grupo de observadores da Commonwealth, afirmou a imprensa que a votação decorreu num ambiente calmo e que os eleitores votaram de forma pacífica e ordeira.

Há cerca de três meses, Joaquim Chissano e John Kufor, antigos Presidentes de Moçambique e Gana, lideraram uma missão da União Africana mandatada ao Malawi para desanuviar a tensão política entre Mutharika, Muluzi e Tembo, visando a realização de eleições pacíficas a 19 de Maio último.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!