Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Guarda de estabelecimento de ensino rouba mais de 70 sacos de cimento

Um guarda das obras de construção do novo campus universitário do Instituto Superior de Ciências e Tecnologia Alberto Chipande (ISCTAC), na Beira, de nome Jeremias Thembo, 34 anos, encontra-se detido acusado de roubo de mais de 70 sacos de cimento e uma quantidade enorme de varões, pregos e arames.

De acordo com o jornal Diário de Moçambique, que cita fonte da Polícia da República de Moçambique (PRM), o cimento e os varões em causa foram roubados na quinta-feira pelo guarda das obras e vendido a um cidadão, cuja identidade não foi revelada, o mesmo que viria a ser surpreendido pela Polícia na posse de parte do material prestes a ser revendido no mercado.

O chefe da secção de imprensa do Comando Provincial da PRM de Sofala, Mateus Mazibe, disse que o cimento e os varões recuperados fazem parte do lote do material alocado pelo ISCTAC na zona do Estoril, no bairro de Macúti, na Beira, para a construção do seu campus universitário, cujas obras arrancaram em Outubro passado, com o lançamento da primeira pedra.

Segundo Mazibe, para conseguir lograr o seu objectivo, Thembo mobilizou outros guardas de obras naquela zona para o ajudar a evacuar o material na noite do dia 18 deste mês, o qual viria a ser carregado por uma viatura de um cidadão, cuja cor e marca a PRM não nos forneceu. “Concretizado o crime, o indiciado arranjou pedaços de garrafa com que se feriu para transparecer que sofreu um assalto. Depois de uma investigação aturada concluímos que o autor do roubo era ele mesmo. Aliás, ele confessou ter participado no roubo e disse que o fez para conseguir dinheiro das festas do Natal e do fim-de-ano”, disse Mazibe.

O cimento e os varões roubados, segundo a fonte, foram vendidos ao preço de dez mil meticais, contra os 14 mil que o indiciado diz ter colocado como proposta ao comprador. Tanto o vendedor como os restantes guardas que ajudaram Thembo a manusear a referida carga ninguém está detido, mas a Polícia garante estar em curso um trabalho visando aferir o seu grau de culpabilidade de modo a responder pelo crime cometido

. O director administrativo do ISCTAC, Luela Saíde, confirmou anteontem ter havido roubo de material de construção nas novas obras daquele estabelecimento de ensino superior na zona de Estoril e disse que o acto foi perpetrado por um guarda. “O guarda tentou simular o roubo. Felizmente conseguimos recuperar parte do material. Este caso não vai afectar o decurso normal das obras apesar termos registado atraso de um ou dois dias”, disse Saíde.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!