Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Governo voltou a tentar financiar Orçamento de Estado, série de Obrigações do Tesouro não teve procura

Governo voltou a tentar financiar Orçamento de Estado

Depois de dois leilões de obrigações soberanas que ficaram aquém das necessidades o Governo de Filipe Nyusi regressou à Bolsa de Valores (BVM) para tentar financiar o seu Orçamento de Estado deficitário em 1,5 bilião de Meticais, uma das séries de Obrigações do Tesouro não teve investidores interessados.

Desde Abril que o Governo está a tentar, sem sucesso, financiar o deficitário Orçamento de Estado de 2019 através da emissão de mais dívida pública interna. A 23 de Abril colocou no mercado as Obrigações do Tesouro da 6ª, 7ª e 8ª Séries com o intuito de obter 3 biliões de Meticais mas conseguiu menos de 10 por cento, apenas 200 milhões de meticais.

A 7 de Maio regressou à BVM para colocar os remanescentes 2,8 biliões de Meticais de Obrigações do Tesouro da 6ª, 7ª e 8ª Séries no entanto vendeu somente 740 milhões , 140 milhões com a 6ª Série, 200 milhões com a 7ª Série e 400 milhões com a 8ª Série pagando juros entre 14 e 16 por cento.

Na passada terça-feira (11) o Executivo voltou a tentar vender as Obrigações do Tesouro da 7ª a 500 milhões de Meticais mas “não houve procura.

No entanto conseguiu obter 250 milhões com a nova reabertura das Obrigações do Tesouro da 8ª Série pagando juros de 15,25 e 16 por cento, a proposta inicial era vender 500 milhões prometendo juros de 10 por cento.

Adicionalmente, pagando juros até 20 por cento, contra os 12 por cento iniciais, o Executivo conseguiu vender 500 milhões em Obrigações do Tesouro da 9ª Série.

A emissão de Obrigações e de Bilhetes do Tesouro tem sido a principal forma do Governo de Filipe Nyusi financiar o Orçamento do Estado de 2019 que tem o défice de 93 biliões de Meticais onde a expectativa é obter 65,4 biliões desse dinheiro em falta através de empréstimos ao banco central, aos bancos comerciais, instituições financeiras e através da emissão de Títulos de Dívida Pública do Tesouro.

Os bancos comerciais são os principais investidores dos Títulos do Tesouro, que lhes tem rendido biliões de Meticais e proporcionado margens financeiras inéditas desde que a crise agudizou-se em Moçambique, no entanto a descida das taxas de juro, que são a referência para os rendimentos com Obrigações e de Bilhetes do Tesouro, parece estar a refrear essa apetência pela dívida pública interna.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!