Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Governo procura soluções para crise de combustíveis

O Governo de Moçambique diz que constitui uma das suas prioridades no presente quinquénio encontrar uma solução estrutural que responda a problemática dos preços de combustíveis fósseis no mercado internacional dado o seu impacto para o país.

Moçambique é um país dependente da importação dos combustíveis fósseis, uma vez que não produz este recurso, uma situação agravada pelo facto de adquirir o produto já refinando, o que o torna mais caro. De acordo com o Ministro da Energia, Salvador Namburete, a solução para a problemática dos preços dos combustíveis fósseis passa pela melhoria dos sistemas de importação, expansão da capacidade de armazenagem e aumento das reservas.

Por outro lado, Namburete considera fundamental a melhoria da qualidade dos combustíveis no país através da construção de infra-estruturas de armazenagem e transporte. Neste contexto, o Governo está a implementar o projecto PETROBEIRA (Tanques de Armazenagem de combustíveis, condensado de gás natural e possivelmente biocombustíveis), com capacidade para 17 mil metros cúbicos de combustíveis. Namburete revelou a AIM que a construção dos tanques está na sua fase final, estando para breve a sua inauguração.

Por outro lado, o executivo do presidente Armando Guebuza está a envidar esforços no sentido de implementar o Projecto PETROLINE (Oleoduto para transporte de derivados de petróleo da Instalação Oceânica da Petromoc, na Matola, até Witbank, na África do Sul). Este projecto conheceu muitos reveses devido a desavenças entre os investidores.

O oleoduto terá cerca de 500 quilómetros de comprimento e uma capacidade de transportar cerca de cinco milhões de metros cúbicos de derivados de petróleo por ano. A reabilitação e modernização dos tanques de armazenagem em Maputo (500 mil metros cúbicos), Beira (50 mil) e Nacala (100 mil) são outras acções em curso no país para aumentar a capacidade armazenamento de combustíveis. De referir que ao longo dos últimos cinco anos, no âmbito da promoção da construção de infra-estruturas de transporte e armazenamento de produtos petrolíferos, o sector de energia concluiu o Projecto INPETRO (International Petroleum Terminal), com uma capacidade de armazenamento de 95 mil metros cúbicos.

Este terminal está localizado na Munhava, cidade da Beira, província central de Sofala e já se encontra em operação. O Ministro da energia considera que outra solução à problemática dos combustíveis fósseis é a utilização expansiva do gás natural produzido no país, como forma de substituir as importações dos derivados de petróleo.

“Naturalmente, que a expansão da utilização do nosso gás natural como forma de substituir importações é uma das soluções para minimizarmos os efeitos dos preços dos combustíveis no nosso país. Isso pode acontecer através da distribuição doméstica de gás natural por via de tubagem, transporte em cilindro nas zonas longe da tubagem para satisfazer os consumidores e da expansão de viaturas movidas a gás natural” frisou Namburete.

Actualmente, decorre a reabilitação e ampliação da armazenagem de Gás Natural Liquefeito (GPL), na Matola, província de Maputo, tendo já sido concluída a primeira fase que consistiu na substituição do equipamento obsoleto relativo a armazenagem de GPL.

O barril do brent no mercado internacional continua a subir. Domingo, o brent era cotado a 78 dólares, algo que já começa alguma apreensão nalgumas economias.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!