Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Governo paquistanês confirma a morte de 34 rebeldes balúchis em ataques

As tropas paramilitares paquistanesas mataram pelo menos 34 supostos rebeldes balúchis durante uma operação de três dias no sudoeste da província de Baluchistão, devastado pela violência, afirmou o governo neste sábado.

“A operação foi concluída hoje, na qual uma enorme quantidade de armas e munições foram recuperadas e destruídas pelas forças de segurança”, disse à imprensa o ministro do Interior da província, Ahmed Sarfaraz Bugti.

De acordo com Bugti, entre os mortos estão Abdul Nabi Bangulzai, suposto “principal comandante” do Exército Unido Balúchi, um dos vários grupos separatistas armados que combatem as forças paquistanesas na província.

O Baluchistão tem presenciado o aumento da violência desde o início, há quase uma década, da mais recente iteração de uma insurgência separatista étnica balúchi há quase uma década.

Os ataques a comboios de segurança e de pessoas por combatentes separatistas são comuns, assim como as operações de retaliação por parte das forças de segurança do Paquistão, que grupos de direitos dizem ter sequestrado e matado extrajudicialmente centenas de ativistas políticos balúchis.

A mais recente operação de três dias ocorreu no distrito de Kalat, a cerca de 200 km ao Sul da capital provincial Quetta.

Entre os alvos do grupo estão combatentes envolvidos em um ataque a um juiz da província em 2001, bem como um ataque a um autocarro que deixou 22 pessoas mortas no ano passado, afirmou Bugti.

Num outro incidente, também neste sábado, seis pessoas foram mortas em um ataque na área de Prom, no distrito balúchi de Panjgur, de acordo com uma autoridade local.

Cerca de 20 homens, munidos de armamento pesado, atacaram uma casa no distrito, matando seis pessoas, entre as quais uma mulher, disse o vice-comissário para o distrito, Mujeeb-ur-Rehman Qambrani.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!