Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Governo do Kuweit renunciou, dizem fontes parlamentares

O governo do Kuweit apresentou, esta Segunda-feira, a sua renúncia ao emir que governa o país, o xeque Nasser al Mohammad al Sabah, disseram fontes parlamentares.

A decisão teria o objectivo de pôr fim aos protestos populares e exigências dos deputados oposicionistas que pediam a demissão do primeiro-ministro, xeque Nasser al Mohammad al Sabah, acusado de corrupção.

No entanto, depois de se reunir com o emir, o presidente do Parlamento disse a repórteres que não estava a par de nenhuma decisão sobre a dissolução do Parlamento.

Um jornal local havia informado que o emir iria realizar uma reunião de emergência, esta Segunda-feira, com seu gabinete para tentar conter a crise política que já levou à renúncia de três ministros, em meio a crescentes protestos populares.

“Sua alteza, o emir xeque Sabah al Ahmad al Sabah, irá comandar uma reunião do gabinete para acabar com a atual crise entre as autoridades do Legislativo e do Executivo”, disse o Al Watan, sem identificar suas fontes.

O jornal informou que três ministros – da Justiça, Saúde e Desenvolvimento – renunciaram por estar descontentes com a actuação do governo.

Nenhuma fonte oficial foi localizada para se manifestar. O país produtor de petróleo registra crescentes protestos pela renúncia do primeiro-ministro por causa das acusações de corrupção.

Um grande protesto convocado para esta Segunda-feira é significativo para o país por ser a primeira vez que uma manifestação tem o apoio dos líderes das principais tribos.

Recentemente, vários manifestantes foram detidos ao invadirem o Parlamento durante um protesto contra o premié. O emir, que tem a palavra final sobre a política no país, disse que a invasão marcou um “dia negro” para o Kuweit, e determinou às forças de segurança que tomem “todas as medidas necessárias” para manter a ordem.

O primeiro-ministro será ouvido, Terça-feira, pelo Parlamento.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!