Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Governo apresenta publicamente projecto Prosavana

O Governo moçambicano, através do Ministério da Agricultura, apresentou publicamente, terça-feira, em Maputo, o projecto Prosavana e garantiu tratar-se de uma iniciativa que vai revolucionar a agricultura no país.

Falando durante um encontro com jornalistas, havido na capital do país, Maputo, o representante do Ministério moçambicano da Agricultura e coordenador do projecto Prosavana, Calisto Bias, disse que o projecto vai contribuir em grande medida para a segurança e diversificação alimentar nas três províncias que fazem parte do Corredor Nacala, nomeadamente Zambézia, no centro, e Nampula e Niassa, norte do país.

O Prosavana está enquadrado no Plano Estratégico para o Desenvolvimento do Sector Agrário (PEDSA) e tem como principais objectivos aumentar a produtividade, garantir o acesso ao mercado, utilização dos recursos naturais de forma sustentável e reforçar as capacidades empresariais dos agricultores.

O projecto compreende três componentes: o Prosavana – PI (Projecto de Investigação), que arrancou em Abril de 2011, prolongando-se até Março de 2016; o Prosavana – PD (Plano Director), que arrancou em Março de 2012 e vai até 2014; e o Prosavana-PEM (Projecto de Extensão e Modelos), que arrancou em Maio ultimo e que se prolongará até Maio de 2019.

Espera-se que o Projecto de Investigação (PI) fortaleça a capacidade operacional dos centros zonais de pesquisa do Instituto de Investigação Agrária de Moçambique (IIAM); avalie os recursos naturais e o impacto ambiental resultante da utilização de novas tecnologias agrárias; desenvolva tecnologias de melhoria de solos para o uso agrícola; desenvolva tecnologias adequadas para as áreas de cultivo e pecuária, entre outros.

Enquanto isso, o Plano Director de Desenvolvimento agrícola no Corredor de Nacala (PD) foi formulado com base no plano Estratégico para o Desenvolvimento do Sector Agrícola (PEDSA), tendo como beneficiários-alvo pequenos e médios agricultores.

Espera-se ainda com este plano, dentre vários resultados, o aumento da produtividade, produção e diversificação da produção agrícola; desenvolvimento da comercialização, processamento e fornecimento de insumos que proporcionem aumento dos produtos agrícolas para o benefício financeiro dos agricultores. Paralelamente, o PEM vai criar o aumento da produção em diferentes áreas de cultivo, através da adopção de modelos de desenvolvimento agrário nas áreas-alvo do Prosavana.

O enquadramento geográfico do Corredor de Nacala dá a esta região um potencial agrícola excepcional que, segundo o coordenador do projecto, deve ser desenvolvido de modo sustentável, para garantir a auto – suficiência alimentar e renda das populações. O Prosavana oferecerá ao Corredor de Nacala infra-estruturas agrícolas; inovação institucional e tecnológica; melhoria do conhecimento; o desenvolvimento ambientalmente sustentável; o desenvolvimento de cadeias de valor de diferentes produtores agrícolas; a produção agrícola mais diversificada; a criação de emprego e a geração de riqueza.

As condições actuais do Corredor caracterizam-se pela baixa produtividade das principais culturas alimentares, agricultura de pequena escala, apenas para subsistência; o aumento da densidade populacional está a diminuir possibilidade de agricultura de pousio; agricultura de subsistência caracterizada pelo pousio; recolha de madeira para lenha, carvão e bens de valor retirados da floresta como fontes importantes para renda. O Prosavana é financiado pelos governos moçambicano e japonês. A tecnologia é de origem brasileira, país que desenvolveu iniciativas similares.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!