Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Gove quer que pequenas e médias empresas passem a usar NIRF

As pequenas e médias empresas moçambicanas estão a ser convidadas pelo Banco de Moçambique (BM) a usarem Normas Internacionais de Relato Financeiro (NIRF) como condição primordial para acederem ao financiamento interno e externo.

O convite surge pelo facto de ainda existirem constrangimentos estruturais no acesso ao financiamento bancário, particularmente, pelo universo das pequenas e médias empresas, segundo o governador do banco central moçambicano, Ernesto Gove.

O “homem forte” do banco emissor de Moçambique apelou ainda para um maior esforço no domínio da organização dos seus sistemas de contabilidade, obedecendo padrões internacionais, com contas auditadas para facilitar a análise do risco dos seus projectos de financiamento, sem descurar que “todos temos igualmente a res- ponsabilidade de buscar soluções que amplifiquem o acesso ao crédito por este segmento importante da nossa economia”.

Os comentários de Gove surgiram em resposta a uma pergunta do jornal Correio da manhã sobre o nível de implementação, em Moçambique, das Normas Internacionis de Relato Financeiro em introdução há cerca de quatro anos, explicando, em seguida, que a adesão das empresas às mesmas normas funda-se no facto de este moderno normativo contabilístico transmitir as melhores práticas de relato financeiro das empresas, com maior enfoque para a elevada qualidade e maior aproximação e harmonização destas práticas, num contexto internacional cada vez mais alargado e globalizante.

Gove disse ainda sobre o assunto que NIRF é uma linguagem contabilística comum que permite preparar, consolidar, auditar e interpretar de forma idêntica a informação financeira e que a convergência e a harmonização internacional das regras contabilísticas constituem um elemento decisivo para o aumento da competitividade das empresas e dos mercados num contexto global.

O processo de implementação das NIRF iniciou no país com instituições financeiras sob supervisão do Banco de Moçambique, enquanto para a área dos Seguros adiou para este ano de 2012 a adopção destas normas devido à natureza das suas operações e características singulares das actividades das seguradoras, bem como a sua estrutura organizacional.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!