Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Frelimo intensifica campanha na Beira

A campanha da Frelimo a nível da cidade da Beira, capital provincial de Sofala, continua a mostrar sinais de crescimento dia após dia, ante uma presença pouco visível dos seus principais adversários políticos.

Segunda-feira, centenas de membros e simpatizantes desta formação politica percorreram cerca de dez quilómetros a pé, uma marcha que iniciou na sede da Frelimo na cidade da Beira, localizada no populoso bairro da Munhava, passando por zonas tais como o mercado informal de “Goto”, a zona de Chipangara, indo desaguar na Praça da Independência, junto ao mar.

“Esta marcha mostrou que organizados vamos vencer as eleições de 28 de Outubro. É desta mesma forma que devemos afluir as urnas para garantirmos a vitória da Frelimo e de Armando Guebuza. Hoje (segunda-feira) percorremos dez quilómetros sem que houvesse algum incidente. Isto é sinal de que não nos preocupamos com outra coisa senão preparar e garantir a nossa vitória”, assim se expressou o Primeiro Secretario da Frelimo em Sofala, Henriques Bongece, um dos que liderou a marcha. Conceita Sortane, membro da Comisso politica da Frelimo e que esta a trabalhar em Sofala, não escondeu a sua emoção quando se dirigiu aos presentes no “showmicio” que marcou o final da marcha.

De acordo com ela, volvidos 15 dias depois do lançamento da campanha, a Frelimo tem estado a provar que é um partido maduro, o que esta a levar mais gente a acreditar que com esta formação e Guebuza Moçambique vai rapidamente acelerar e alcançar o desenvolvimento. Sortane explicou aos presentes a importância de se ter em conta que a 28 de Outubro os eleitores vão ser confrontados com três diferentes boletins de voto, o que acontece pela primeira vez na história das eleições democráticas em Moçambique. De acordo com ela, é importante que se garanta uma maioria quer nas eleições provinciais, quer nas legislativas, explicando que esta é a única forma de se garantir a execução do programa do Governo da Frelimo, a nível central e provincial.

Para Sortane, se os militantes da Frelimo assim agirem estarão, mais do que nunca, a garantir a continuidade da governação de Armando Guebuza, que concorre para segundo mandato. Enquanto isso, o adjunto do Gabinete provincial de Eleições, Alberto Vaquina, disse que “vamos continuar com forca e determinação rumo a vitória, porque este é que é o nosso valor”. Vaquina, que fim-de-semana reuniuse com professores baseados na Beira para lhes pedir voto, sublinhou que “temos de ganhar para mudar a situação da cidade da Beira e da província de Sofala”. No encontro com professores, Vaquina, que se mostra imparável nesta luta pelo voto, alertou aos profissionais da educação contra o que considerou de “falsas promessas” por parte de membros de partidos da oposição.

Por outro lado, a Frelimo também tem se destacado quanto ao uso de outras formas de campanha, designadamente no uso de material propagandístico. Em praticamente todas as esquinas da cidade da Beira, podem-se ver panfletos propagandísticos da Frelimo, nomeadamente “batuque e a maçaroca”, o símbolo do partido, para alem da imagem do seu candidato Armando Guebuza. Mesmo assim, a Frelimo queixa-se de estar a ser vítima de alguns concorrentes “desonestos” que, segundo este partido, optam por continuar a destruir os seus panfletos.

Fora disso, apenas se podem também ver alguns panfletos da Renamo e do seu candidato, Afonso Dhlakama, e do Movimento Democrático de Moçambique (MDM) e seu candidato, Daviz Simango, mas em quantidades reduzidas, nesta cidade politicamente dominada pela oposição. Quanto ao Partido da Paz, Democracia e Desenvolvimento (PDD), a AIM soube de Chico Brás, da Comissão Politica desta formação politica, que a falta de panfletos resulta do facto de se ter excluído o respectivo candidato a presidência, Raul Domingos, o que, a ultima da hora, forçou a reformulação da forma como o material tinha sido preparado. “A exclusão do nosso candidato criou-nos transtornos na produção de panfletos”, disse Brás.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!