Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Forças de segurança líbias lançam ataque contra grupos armados no oeste de Tripoli

As forças de segurança líbias apoiadas por unidades do Exército lançaram, domingo (19), um ataque contra os grupos armados que aterrorizavam as populações na zona de “Warshafa”, do nome duma das maiores tribos da Líbia, no oeste de Tripoli, segundo a Agência Líbia de Notícias.

A operação teria feito três mortos e 15 feridos do lado das forças de segurança, enquanto 20 bandidos armados foram mortos e 10 outros feridos. As forças de segurança procederam igualmente à detenção de 20 outros marginais que foram postos à disposição do Ministério Público.

Depois da destituição do antigo regime, em 2011, membros da tribo “Warshafa” e marginais provenientes de outras zonas roubaram armas nos paióis, constituindo então grupos armados que passaram a aterrorizar os civis, operando roubos e raptos para exigir resgates. Esta zona é uma das mais importantes regiões agrícolas do país, mas as actividades agrícolas recuaram fortemente devido à insegurança causada pela fuga dos operários agrícolas estrangeiros.

Os camponeses têm até medo de comercializar os seus produtos nos mercados devido a ataques armados de que são vítimas, nomeadamente no célebre mercado “Ghawta Bou Sak”. Segundo testemunhas, os marginais tidos como apoiantes do antigo regime apoderaram-se igualmente de campos agrícolas abandonados na zona.

Domingo, as forças de segurança, apoiadas por unidades do Exército líbio, acentuaram os bombardeamentos nestes campos. Tiros de obuses foram ouvidos até tarde domingo à noite, bem como sirenes de ambulâncias.

O segundo os habitantes locais, tais marginais eram em número de cerca de 100 pessoas mas chegadam não faziam mais de 100 pessoas, mas aterrorizaram toda a região e bloquearam a vida nesta parte do país.

Numerosos industriais e comerciantes tiveram de abandonar o seu trabalho e fugir devido à insegurança. Através das redes sociais, vários cidadãos da zona pedem a continuação das operações militares até à limpeza total da zona.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!