Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Fiat anuncia divisão do grupo e parceria com a Chrysler

A montadora italiana Fiat anunciou esta quarta-feira que realizará um “spin-off”, separando suas atividades automotoras do restante das produções, e apresentou objetivos ambiciosos até 2014, graças à sua aliança com a Chrysler.

Com o processo de recuperação do grupo “finalizado”, “já não há razões para deixar juntas” atividades com “lógicas industriais e financeiras tão diferentes”, afirmou o diretor geral da empresa, Sergio Marchionne, durante a apresentação do plano estratégico 2010-2014. “Por isso, nosso projeto é separar nossas atividades da Iveco (caminhões e ônibus), da CNH (maquinaria agrícola e para construção) e das atividades industriais da FPT, automotoras”, anunciou.

“O grupo será batizado de Fiat Industrial” e será cotado na Bolsa de Milão até o fim do ano, acrescentou. Essa operação será concluída seis meses após ser aprovada pelo Conselho de Administração. As atividades automotoras que reúnem as marcas Fiat, Lancia, Alfa Romeo, Ferrari e Maserati, assim como os componentes, serão mantidas no grupo atual.

Os acionistas da Fiat receberão uma ação do novo grupo por uma ação Fiat, e a família Agnelli será a acionista de referência dos grupos, com uma participação de 30%. “Com esta estrutura, os dois grupos terão a liberdade de seguir as melhores opções estratégicas, incluindo alianças potenciais”, afirmou Marchionne. Esta operação poderá facilitar no futuro uma eventual fusão entre o ramo automotor e a Chrysler, além de favorecer outras aproximações.

A Fiat possui 20% da empresa americana e deve aumentar para 35% em dois anos, antes de tomar eventualmente a maior parte do capital com o tempo. Na Bolsa de Milão, os investidores comemoraram o anúncio. A ação da Fiat subiu cerca de 1,73% no fechamento, aos 10,6 euros, após ganhar 10% na terça-feira. O mercado interpretou na terça-feira o anúncio da nomeação como presidente do jovem John Elkann (34 anos), neto de Gianni Agnelli, como sinal de uma grande mudança na maior empresa do país.

A Fiat também apresentou objetivos ambiciosos para os próximos cinco anos, graças à sua aliança com a Chrysler. O grupo aposta em um salto de seus lucros a um nível entre 4,8 e 5 bilhões de euros (6,4 e 6,7 bilhões de dólares), frente a um ganho que deve estar “próximo do equilíbrio” neste ano, e em um crescimento de 13,1% anual de seu volume de negócios, para alcançar os 93 bilhões de euros em 2014.

A Fiat lançará no total 34 modelos novos antes de 2014, 13 deles serão construídos pela Chrysler nos Estados Unidos e México. Também modernizará 17 modelos atuais. As marcas Lancia e Chrysler serão “totalmente integradas” e o Alfa Romeu voltará aos Estados Unidos em 2012. Em 2014, Fiat e Chrysler deverão fabricar mais de 6 milhões de veículos. A aliança com a Chrysler deverá permitir que a Fiat economize cerca de 1,5 bilhão de euros (2 bilhões de dólares) até 2014.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!