Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Festival da (Des)organização ou des(organização) organizada?

Festival da (Des)organização ou des(organização) organizada?

Hoje é o dia aguardado com muita ansiedade por muitos moçambicanos, particularmente os apreciadores do Jazz, decorre hoje e amanhã em Maputo, no parque dos Continuadores, o Moçambique Jazz Festival na sua 2ª edição consecutiva.

 

Fazendo juz a fama moçambicana de (des)organização temos constatado alguns factos que nos deixam apreensivos sobre o festival que iremos assistir mais logo.

Ontem confidenciavam-nos que algum do equipamento imprescidível para o espectáculo, que supostamente viria da Àfrica do Sul, não veio e que se procuravam (desenrascar) soluções locais. Hoje até as 12h não estavam ainda criadas as condições básicas para a realização do festival, nem energia eléctrica estava operacional constatamos.

 

Na manhã de hoje os medias moçambicanos, que durante a semana que passou haviam sido bombardeados por e-mails requisitando os nomes dos jornalistas para iriam fazer a cobertura do evento, receberam a seguinte SMS: “Conferência de Imprensa de Moz Jazz Festival hoje as 11hs n hotel rovuma. As credênciais serão entregues no local”.

A Conferência de Imprensa começou com 1h 15 minutos de atraso, ainda assim, os pouco mais de 50 profissionais de comunicação social não arredaram o pé da sala. Aliás, os mais experientes em eventos do género anteviam um cenário ainda pior. Stewart Sukuma exortava os jornalistas a “terem um ‘bocadinho’ de paciência”.

Das credenciais nem sinal e para o cúmulo da falta de respeito pelos jornalistas estes ainda tiveram que preencher um formulário absurdo, como se de uma certidão de nascimento se tratasse, aliás, como alguém comentou “já registaram quando nasci”, num claro protesto aos dados exigidos.

Foi assim que começou, neste cenário de total desorganização, a conferência de um dos eventos musicais mais esperados pelo público moçambicano: com as presenças de Spyro Gyra, Norman Brawn, Hugo. Moreira Chongiça, vencedor de três prémios com o seu mais recente trabalho, foi uma ausência notada apesar de garantida a sua presença no festival.

Mas em plena época de Páscoa acreditamos que tudo estará organizado a tempo de as 19h o Festival de Jazz arrancar na sua máxima força.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!