Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Falta de frio desmotiva pescadores em Muanza

A falta de meios de frio para a conservação do pescado está a desmotivar os pescadores dos centros de Sambanzó, Maquelimane 1 e 2, Ngolone e Muculuine no Posto Administrativo de Galinha, no distrito de Muanza, na província central de Sofala.

Com vista a colmatar esta dificuldade, o Governo distrital através do Instituto de Desenvolvimento de Pesca de Pequena Escala (IDPPE), realizou recentemente um levantamento nos principais centros de pesca artesanal visando a instalação de câmaras de frio, cuja materialização carece de solução financeira.

De acordo com os pescadores, a inexistência de meios de frio, nomeadamente, câmaras frigoríficas ou fabriquetas de gelo, leva a que todo o pescado seja processado para a secagem e posteriormente vendido na capital provincial, Beira, principalmente na Praia Nova. “Estamos a perder muito quando vendemos o peixe seco pois se o fizéssemos fresco ganharíamos mais”, disse António Gimo Macate, um dos pescadores presentes no encontro.

Para além dessa situação, aqueles armadores artesanais também apontaram a falta de meios de transporte para a fiscalização o que concorre para a existência de pescadores que ainda continuam a utilizar redes mosquiteiras no arrasto do pescado. Esta situação, segundo eles, concorre para a redução do pescado pois este tipo de redes arrasta até larvas. “Temos conhecimentos das normas de pesca mas agora estamos preocupados porque as quantidades que capturamos estão a reduzir, e pelas análises que efectuamos concluímos que isso se deve ao uso de redes inadequadas, vulgo chicocotas, por parte de alguns pescadores”, referiu um outro pescador.

Recentemente, segundo destacaram, três chicocotas foram capturadas e postas fora da acção situação que, de acordo com os nossos informadores, poderia acontecer sempre mas devido a falta de meios (barco) para a fiscalização a situação vai prevalecendo.

João Saize Duarte, delegado do IDPPE em Sofala, disse em resposta às preocupações apresentadas que há uma luz no fundo do túnel pois dos levantamentos efectuados em oito centros de pesca artesanal, nomeadamente, Buene, Chiloane, Nhavininga, Danga, Praia Nova, Ndjalane, Sengo e Sambanzó concluiu-se que uma das formas viáveis para a solução do problema da falta de frio pode ser a instalação de câmaras de gelo. “Estamos em processo mas isso carece de meios financeiros pelo que esperemos o que nos dirá o tempo sobre o projecto que traçamos”, explicou.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!