Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Extensão Rural cobre 126 distritos

Com o recrutamento de cerca de 200 novos extensionistas, os Serviços de Extensão Rural cobriram 126 distritos dos 128 existentes e seis cidades durante o ano passado, para além de formação de outros 604 extensionistas dos quais 575 da rede pública e 29 das organizações não governamentais.

Segundo o director Nacional de Extensão Rural, Boaventura Nuvunga, no mesmo período, foram entregues 139 novas motorizadas e fardamentos o que criou outras espectativas aos extensionistas que com este efeito, conseguiram assistir 354.070 produtores, sendo 203.755 homens, 150.315 do sexo femenino e 853 membros.

4158 associações, abarcando 11 6. Nuvunga disse que com o estudo já concluído, na próxima campanha agrícola, mais concretamente no próximo ano, será lançada uma área de seis mil hectares para além de construção de novos regadios com o alargamento do tempo para um período de cerca de um ano.

Afirmou que no início do ano passado havia um projecto para irrigar três mil hectares mas apenas se conseguiu 1900, o que significa uma realização de 60 porcento do planificado.

Outra aposta do sector está relacionada com a aquisição de motobombas e acelerar o nível de construção de regadios.

Falando do número de produtores assistidos por província, a fonte referiu que nas províncias de Maputo, Gaza, Inhambane, Manica, Sofala, Tete e Cabo Delgado, as assistências aos camponeses não ultrapassaram os 50 mil, com excepção das províncias de Zambézia, Nampula e Niassa que conseguiram ultrapassar a fasquia dos 50 mil.

“Na época agrícola 2006/2007os produtores assistidos não ultrapassaram os 50 mil. Houve uma distribuição de 9.631 toneladas de sementes e ao mesmo houve redução de produtores contratados devido algumas irregularidades”, reparou.

Sobre o plano de acção para a produção de alimentos, disse que foram distribuidos alimentos que concentram os esforços do Estado nas culturas de milho, arroz, trigo, mandioca, batata reno, girassol, soja, avicultura e psicultura.

“Iniciamos o processo de aprovisionamento de sementes das culturas prioritárias da 1ª época da campanha 2008/09 e distribuição de 50 tractores com as respectivas alfaias agrícolas”, disse sublinhando que quanto ao abastecimento de insumos face às adversidades climáticas, foram realizadas feiras agrícolas que beneficiaram 45 mil famílias, distribuição de 535 toneladas de sementes diversas para as províncias e distritos afectados.

“As feiras são destinadas aos grupos vulneráveis, há seca no país que está a afectar muita gente nos postos administrativos, onde tivemos problemas no início do ano passado mas, no entanto, já ultrapassados”, disse afirmando que no vale do Zambeze foram assistidas muitas pessoas.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!