Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Exposição “Povos e Lugares” de Nguxi dos Santos

Histórias da tragédia e da reconstrução de Angola retratadas em fotografia pelo jornalista, realizador, produtor e fotógrafo angolano Nguxi dos Santos. Já esteve em Moçambique tendo participado em mostras e workshops de cinema documental. Porém, desta vez, veio apresentar a face de fotógrafo e trouxe a colectânea de fotografias que retratam a vida do povo angolano e os lugares paisagístico daquele país irmão. A exposição, que tem como título “Povos e Lugares”, decorre desde o passado dia 4 do mês corrente e prolongar-se-á até o dia 8 (Sábado).

A exposição tem como objectivo “promover a boa imagem do povo angolano em diversas partes do mundo”, explica Nguxi dos Santos. A exposição serve de base para os moçambicanos que pretendem conhecer um pouco sobre Angola depois da guerra civil que devastou aquele país.

“É a primeira vez que exponho as minhas obras em Moçambique”, revela. Moçambique foi o país escolhido para dar o pontapé de saída. O motivo é justificado pelo amor que o povo moçambicano tem em relação às artes.

“Não só o povo moçambicano, os angolanos também gostam de arte e cultura e o governo local presta apoio para que os fazedores da mesma se sintam motivados e façam para além daquilo que deviam fazer”. Nguxi dos Santos apresentou vários conjuntos de imagens que transportam a beleza das paisagens angolanas e dos costumes ancestrais dos seus povos.

No decurso da exposição, ele mata a sede dos que o conhecem na sua faceta de realizador, com uma montagem de imagens em movimento dos seus trabalhos anteriores.

Obras

Como fotógrafo, realizou em 2002 a exposição “Marcas da Guerra” no Museu de História Natural, em Luanda, com uma selecção de 40 fotografias tiradas no decurso do conflito pós-eleitoral de 1992. A mesma colectânea foi também apresentada em Cuba, França e Brasil.

Paralelamente, durante todos os dias de exposição, foi exibido o documentário “O Silêncio das Armas”. Realizou “Mamã Muxima”, uma curta-metragem de 29 minutos lançada em 2007 e que passou por terras moçambicanas por ocasião do Dockanema, no ano passado.

“Mamã Muxima” retrata a história, a cultura e o costume que levam à aglomeração de gente de toda a parte de Angola, assim como de alguns pontos de África, à procura de curas milagrosas de várias imperfeições, de protecção, de sorte nos relacionamentos, riqueza e paz de espírito, naquela que é a maior peregrinação religiosa de África, devotada à Nossa Senhora.

Vida

Nascido em 1960 no antigo Zaire, em Angola, Augusto Manuel dos Santos – ou simplesmente Nguxi dos Santos – é fotojornalista de profissão e realizador de programas na Televisão Pública de Angola (TPA) e coordenador da área musical. Em 1980-1990, foi repórter de guerra e destacou-se pela coragem em documentar os conflitos armados em Luanda.

Já foi militar, altura em que teve a oportunidade de registar, através da sua máquina fotográfica, muitos momentos trágicos e da sua reconstrução. Importa referir que Nguxi dos Santos integra a estrutura accionista da Drealock Produções.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!