Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Exportação de madeira moçambicana em toros aumenta 24%

Moçambique exportou nos primeiros três meses de 2012 cerca de 9,3 mil metros cúbicos de madeira em toros, em larga medida para o mercado asiático, em particular, China, representando um aumento de 24% face ao volume alcançado no período homólogo de 2011.

Em entrevista ao Correio da manhã, Alima Nequice, geógrafa ambientalista da Direcção Nacional de Terras e Florestas, avançou que, no período em análise, foram emitidos 467 certificados para o escoamento de cerca de 22.170 metros cúbicos de toros de madeira, representando um incremento em 19% em relação ao 1º trimestre de 2011.

Relativamente ao processamento industrial da madeira, a sua produção caiu em 9%, atingindo cerca de 38,2 mil metros cúbicos de Janeiro a Março de 2012, contra 41,9 mil metros cúbicos produzidos no período homólogo do ano transacto, situação que se deveu “à produção, por encomenda efectuada apenas por uma indústria na província de Manica”, justifica Nequice.

Fiscalização & conflito de terra

Por outro lado, Nequice revelou que, no período, foi revogado um total de 11 títulos de Direito de Uso e Aproveitamento de Terra (DUAT), correspondente a uma área de 143,63 hectares de terra, por incumprimento dos planos de exploração de projectos propostos pelos requerentes.

No geral, aquele departamento adstrito ao Ministério da Agricultura (MINAG) fiscalizou ao longo do primeiro trimestre de 2012 um total de 235 parcelas correspondentes a uma área de cerca de 123.611,6 hectares em apenas oito províncias, nomeadamente, Maputo, Gaza, Inhambane, Manica, Zambézia, Nampula, Cabo Delgado e Niassa.

Entretanto, Nequice lamentou a ocorrência no período em análise de cerca de 35 casos de conflitos de terras, dos quais 27 foram mitigados com sucesso e os restantes em tramitação.

“O maior número de conflitos deu-se na província de Maputo, com nove casos”, sublinhou a fonte.

Comparando com o primeiro trimestre de 2011, o número de casos de conflitos de terras registou um decréscimo de 85 para 35 casos.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!