Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Exército do Egito anuncia cura da SIDA perante ceticismo de cientistas

O exército do Egito afirma ter inventado aparelhos para diagnosticar e curar o vírus HIV, causador da SIDA, um anúncio recebido com ceticismo pela comunidade científica e com surpresa pelas autoridades, que temem que o país passe vergonha.

Uma espécie de antena ligada a uma máquina que substitui o sangue contaminado por outro purificado parece ser a criação revolucionária descoberta pelos cientistas das Forças Armadas egípcias para acabar com vírus como o da hepatite C ou mesmo o HIV.

As invenções foram anunciadas recentemente pelo general do exército egípcio Ibrahim Abdelati, em entrevista coletiva em que também participaram o presidente do país, Adly Mansour, e o chefe das Forças Armadas, Abdul Fatah Khalil Al-Sisi.

No evento, foi exibido um vídeo com declarações de um antigo suposto soropositivo que tinha sido curado graças a revolucionária invenção.

Sem explicar como funciona, um comunicado publicado na página do Facebook do porta-voz do exército, Ahmed Ali, afirma que este dispositivo duplo é capaz de “detectar e tratar” estes vírus “sem tomar qualquer amostra de sangue do paciente, com um baixo custo e resultados imediatos”.

A nota assegura, além disso, que a porcentagem de sucesso deste aparelho, batizado como Dispositivo de Cura Completa (DCC), é de “mais de 90%” e que foi “a vontade de Deus” que quis que fosse o exército egípcio o autor dessa conquista médica.

Abdelati anunciou em entrevista no canal de televisão egípcio “Sa’adah al Balad” que tinha recusado uma proposta internacional que oferecia US$ 2 bilhões para “esquecer” do dispositivo.

Segundo o governo, o dispositivo foi registrado em nome do Corpo de Engenheiros das Forças Armadas e recebeu o sinal verde do Ministério da Saúde. O Executivo egípcio já solicitou a patente em 2011 de um dispositivo similar destinado à detecção de drogas, explosivos e vírus como o da hepatite C. Este aparelho de diagnóstico está a ser desenvolvido por uma equipe que faz parte o hepatologista Gamal Shiha, que desde 2010 está testando o dispositivo e o apresentando em diferentes conferências científicas internacionais.

“Este aparelho não tem nada a ver com o da cura (mostrado pelo exército), só serve para o diagnóstico”, disse à Agência Efe Shiha, que acrescentou que “o que se disse sobre (o aparelho de) cura não tem qualquer base científica”. Shiha recusa-se a dar valor a algo “que foi apresentado em uma entrevista coletiva em vez de em uma conferência científica”.

Por outro lado, o conselheiro da presidência egípcia para Assuntos Científicos, Esam Hegy, confirmou em sua página no Facebook que o presidente Mansur ordenou que estas invenções fossem estudadas por comissões científicas especializadas internacionais para confirmar que o estudo e seus resultados são completos e seguros antes de sua aplicação. Ele acrescentou que o anúncio surpreendeu tanto Mansur quanto a Al Sisi, cuja presença na entrevista coletiva de apresentação do descobrimento “não significa que a apóiem”.

Em declarações ao jornal “El Watan”, o conselheiro destacou a “humilhação” que, segundo ele, “isto representa para o Egito dentro e fora do país, não sendo, além disso, a primeira vez que isto acontece”.

Nas redes sociais o aparelho já é motivo de piadas entre os egípcios. Porém, independente disso, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Egito é o país do mundo com maior porcentagem de sua população afetada pelo vírus da hepatite C, com 22% de infectados.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!