Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

EUA 1 – Argélia 0: O que eles disseram depois do jogo

“Acho que fizemos uma ótima partida. Jogamos bem. Aliás, as duas seleções jogaram. Vimos muitas chances de gol de um lado e de outro, mas faltou-nos sorte. A altitude fez diferença no aspecto físico, alguns jogadores sofreram no segundo tempo. Mas escalei aqueles que me pareciam ter melhor condição e os que me davam mais potencial ofensivo. Trabalhamos muito, mas o esforço não foi recompensado. Não fomos eficazes e bem-sucedidos como os Estados Unidos. Parabéns para eles.” Rabah Saâdane, técnico da Argélia.

“Estes garotos não desistem nunca e hoje provaram mais uma vez. Estou preocupado, porque poderíamos muito bem ter saído de mãos vazias. Mas os meus jogadores já decidiram em outras ocasiões e jamais deixaram de acreditar. Estamos orgulhosos de terminar na liderança do grupo com cinco pontos. E já estamos prontos para ir ainda mais longe.” Bob Bradley, técnico dos EUA.

“É claro que deveríamos e poderíamos ter feito o golo mais cedo e então não precisaríamos ter passado por este final dramático. Mas no final das contas foi bom ter sido assim tão rápido. Nem tive tempo de pensar no que iria fazer. Estar no lugar certo e empurrar a bola para o golo foi uma coisa natural. Agora, o melhor a se fazer é descansar, porque estamos realmente precisando. Mas posso garantir que estaremos prontos para a próxima fase.” Landon Donovan, atacante dos EUA.

“O povo argelino pode ficar orgulhoso da sua seleção mesmo que esteja frustrado. O resultado final está atravessado na minha garganta, porque dava para ter conseguido a classificação. Mas não temos do que nos arrepender pelo que foi feito. E é preciso ter os pés no chão: a Argélia não é o Brasil nem a Argentina. É uma boa seleção. Devemos ser otimistas em relação ao futuro. Temos uma boa base.” Anther Yahia, defesa e capitão da Argélia.

“Pedimos desculpas ao povo argelino, mas as pessoas precisam saber que demos o nosso máximo. Lutamos até o fim. Tivemos chances para ganhar e no final sofremos um golo em contra-ataque. Assim é o futebol. Ficamos exaustos nos últimos 20 minutos, foi um jogo muito árduo fisicamente. Saímos de cabeça erguida.” Karim Ziani, meio-campista da Argélia.

“Perdemos para uma excelente seleção dos EUA, que sem dúvida estava mais bem preparada. Foi muito difícil fisicamente. Apesar de tudo, tivemos oportunidades, mas como sempre faltaram os golos. A Argélia é um país em ascensão. Espero que, daqui a quatro anos, estejamos de novo na competição para fazer melhor.” Nadir Belhadj, defesa da Argélia.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!