Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Estudantes da UEM contestam agravamento de propinas

A Associação dos Estudantes da Universidade Eduardo Mondlane (UEM) afirma estar a preparar um protesto contra o agravamento das propinas e taxas semestrais de matrícula em cerca de 400%, a partir de 2011, na cidade do Maputo.

Estes incrementos são rotulados de “injustificáveis e impróprios” por Eugénio Cossa, representante daquela agremiação, indicando que a maioria dos estudantes opta pelo Ensino Superior público por falta de dinheiro para pagar uma universidade privada.

“O agravamento das taxas veio no momento errado”, considerou Cossa, falando esta terça-feira ao Correio da manhã à margem de um encontro dos núcleos de discentes da UEM.

No encontro participaram também representantes da AIESEC, agremiação internacional de estudantes universitários, e visava recolher subsídios para enriquecimento da carta a ser enviada ao gabinete do reitor da UEM, padre Filipe Couto, ao longo da decorrente semana.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!