Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Escola Superior de Ciências Náuticas retoma formação paramilitar de cadetes

Escola Superior de Ciências Náuticas retoma formação paramilitar de cadetes

Foto de Fim de SemanaA Escola Superior de Ciências Náuticas retomou, no presente ano, a formação paramilitar de cadetes, interrompida desde 1997. A informação foi tornada pública hoje, 30 de Agosto, no fim da visita de trabalho efectuada pelo Ministro dos Transportes e Comunicações àquele estabelecimento do ensino superior tutelado por este sector.

Carlos Mesquita explicou que a medida enquadra-se no cumprimento da instrução prática dos cadetes, a fim de prover ao País de profissionais qualificados para responderem às necessidades do transporte marítimo no País, decorrendo esforços junto de armadores nacionais para o embarque de estudantes da Escola Superior de Ciências Náuticas para aulas práticas, tal como preconizam as convenções internacionais sobre a formação de marítimos.

Para Carlos Mesquita, a Escola Superior de Ciências Náuticas deve garantir a realização de todas as acções de capacitação e formação efectiva, no âmbito do desenvolvimento do capital humano na área da marinha, que deve ser feito à luz dos instrumentos normativos internacionais que regem a formação e certificação de oficiais marítimos. Neste sentido, “exortamos a instituição a buscar alternativas de formação específica, recorrendo a iniciativas sustentáveis e inovadoras a fim de dotar o País de profissionais competentes e disponíveis para responder aos desafios do sector. Urge encontrar as melhores alternativas para assegurar a solução da problemática da instrução prática dos cadetes”.

No que diz respeito ao processo de gestão, o ministro dos Transportes e Comunicações considerou que a instituição precisa de imprimir maior celeridade no programa de reestruturação nos níveis administrativo e pedagógico, voltando-se para uma perspectiva comercial.

Para tal, “a escola deve firmar parcerias, adoptando modelos que tragam ganhos mútuos e reduzam encargos à instituição”, orientou Carlos Mesquita, que manifestou a sua satisfação pelo trabalho que está a ser desenvolvido pela instituição, particularmente no que diz respeito ao resgate dos elementos basilares da disciplina do oficialato, bem como a formação a bordo e do paramilitarismo, aprumo e rigor.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!