Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Enfermeiros abandonam o sector de trabalho em Mossurize

Enfermeiros do Centro de Saúde de Dacata, um dos postos administrativos do distrito de Mossurize, província de Manica, abandonam constantemente o local de trabalho.

Segundo testemunhas, trata-se de Alberto Chassai mais duas parteiras, afectos naquele centro de saúde, em que os mesmos, logo depois de entrarem saem trinta minutos depois deixando os pacientes à sua sorte.

Filomena Sitole, uma das pacientes e residente de Goigoi, uma zona que está à 30 kilometros de Dactaca, disse que no dia 27 de Abril corrente, ela dirigiu-se ao referido posto para levantar medicamentos e quando lá chegou ninguém estava.

Filomena frisou ainda que chegou naquele centro quando eram 10 horas mas até ás 16 horas do mesmo dia ainda não tinha sido atendida por ausência de tais profissionais de saúde que estavam nas suas casas.

O mais grave é que Filomena é seropositiva e afirmou que em todas as Sextas-feiras tem se deslocado para aquele centro a fim levantar os medicamentos de uma semana devido aos medicamentos de uma semana devido à distância.

Uma outra paciente também estava no centro de saúde de Dacata à procura de serviços destes profissionais, tendo esperado cerca de 3 horas, contorcendo-se com dores de barriga.

A equipe de reportagem do O Planalto também confirmou que naquele centro de saúde não tinham nenhum enfermeiro, aliás quando Alberto Chissai, agente de farmácia, soube que o jornal O Planalto dirigiu-se imediatamente para o centro.

Questionado porque é que não estava no seu sector de trabalho, explicou que havia se ausentado porque não viu doente algum aquando da sua saída, tendo optado em ir para um local chamado rede, visto que é o único sitio onde se pode falar com ao telefone móvel.

Chissai riçou, Sexta-feira passada, que o centro teve que encerrar as 10 horas justificando que foi por causa da visita presidencial.

Um dos líderes comunitários, identificado por Daniel pronunciou que não é a primeira vez que o profissional de saúde, Alberto Chissai, efectua aquele tipo de comportamento, sendo que foi várias chamado atenção.

“De facto, esse enfermeiro não é a primeira vez que faz isso, nós já falamos com ele, mas continua a comportar-se assim”, sublinhou Daniel.

Em relação às parteiras, Daniel disse que têm acontecido ausências por parte destas, confirmou que a enfermeira de nome Ivone é que mais tem saído para falar ao telefone móvel.

A equipe de reportagem do O Planalto foi ao encontro do director provincial de saúde de Manica para procurar saber se tinha conhecimento do caso, eis que ele respondeu que “é possível que isso aconteça mas logo que terminar a visita presidencial irei dirigir-me ao distrito por forma a estar a passo da situação”.

Juvenaldo Amós afiançou que naquele ponto da província de Manica têm-se registado muitos problemas, daí que pretende efectuar uma visita de trabalho onde vai-se encontrar com a directora distrital e chefe do posto.

Amós não confirmou nem desmentiu o caso, afirmando que só depois de deslocar-se ao distrito de Mossurize é que poderá falar em torno do assunto que preocupa a população daquele posto administrativo.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!