Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Encerrados 15 centros de acolhimento de crianças desfavorecidas

O Ministério da Mulher e da Acção Social (MMAS) mandou encerrar 15 centros de acolhimento de crianças desfavorecidas por suspeitas de serem locais do seu recrutamento para tráfico de seres humanos para prostituição e escravatura infantil.

O seu encerramento ocorreu durante o primeiro semestre de 2010, segundo a directora nacional adjunta da Acção Social, Francisca Sales, ajuntando que durante as acções inspectivas da sua instituição concluiu-se que “em 90% daquele tipo de centros de acolhimento de crianças visitados verificámos que mais de metade funcionava ilegalmente e usava crianças para fins económicos, para além de que as condições logísticas dos mesmos eram precárias”. Sales aventou a possibilidade de mais centros do género virem a ser encerrados, pelas mesmas razões, uma vez que as inspecções prosseguem.

Necessidades para funcionamento

Entretanto, dados tornados públicos, esta quinta-feira em Maputo, indicam que aquele departamento governamental necessita de cerca de 247,9 milhões de meticais para viabilização do seu programa de apoio a pessoas vulneráveis, em particular, mulheres e crianças ao longo dos próximos quatro anos. De acordo com um documento contendo a Proposta do Plano Nacional para o Avanço da Mulher (PNAM) 2010-2014, apresentado esta quinta-feira no decurso da VI Sessão do Conselho Coordenador do Ministério da Mulher e da Acção Social a terminar hoje, sexta-feira, uma parte do montante será direccionada para o sector da Agricultura, visando implementar programas conducentes à garantia da segurança alimentar através do estabelecimento de plataformas de inovação para toda a cadeia de valores.

O mesmo documento defende, por outro lado, o aumento de acesso à água potável, estabelecendo metas de 69% e 70% da população rural e urbana, respectivamente, para além do saneamento do meio a passar de 48% para 80% de cobertura até 2014. Entretanto, Yolanda Cintura, titular daquele pelouro, mostrouse preocupada com o recrudescimento de casos do tráfico de seres humanos, apelando as direcções provinciais do seu ministério a intensificarem acções de fiscalização dos centros de acolhimento de crianças, em particular na província nortenha de Nampula, tida como epicentro do tráfico de pessoas.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!