Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Empresas dizem que a Administração Nacional de Estradas autorizou a sua retirada

Ainda há barulho em volta das estradas da cidade de Quelimane. As ditas melhores na óptica do director provincial das Obras Públicas e Habitação na Zambézia, Cristóvão Forquia. Nos últimos tempos há pronunciamentos de acusações, onde o governo diz que o empreiteiro, CONDURIL, abandonou as obras sem ter dito nada às autoridades.

E não só isso, os mais atentos já viram e ouviram os governantes desta província dizendo que o empreiteiro seria chamado a assumir os erros cometidos nas obras e outras coisas por ai.

A última foi essa de suspenderem o respectivo fiscal das obras, Nelson Tsanzana, como se fosse o fim de tudo. Só que para não deixar os seus créditos em mãos alheias, há dias, o director da empresa de construção, CONDURIL, Eng. Luís Miguel, veio dizer que não constitui a verdade aquilo que as autoridades desta província têm vindo a falar em volta desse assunto.

Conforme esclareceu o director Miguel, a retirada da sua empresa desta cidade foi autorizada pela Administração Nacional de Estradas (ANE), que depois de um aturado trabalho de vistoria dos 4 mil km de estradas sob sua responsabilidade, a ANE, autorizou a saída da CONDURIL.

E não só isso, de acordo ainda com aquele responsável, a sua empresa cumpriu com o que estava no caderno de encargo e quando pediu ao dono da obra para que pudesse fazer alguma adenda orçamental para suprir algumas lacunas detectadas no decurso dos trabalhos, o dono da obra, neste caso o governo disse não possuir verbas para isso e o empreiteiro deveria fazer aquilo que estava no caderno de encargo.

“Não é verdade que fugimos da cidade, fomos autorizados, dai que as palavras que temos vindo a acompanhar são falaciosas” – diz o Eng. Miguel da CONDURIL.

Obras retomam

Entretanto, há dias, à margem da reunião do sector das Obras Públicas, que teve lugar na cidade de Gurué, norte da província, o director provincial do sector, Cristóvão Forquia, quando citado pela Rádio Moçambique, disse que as obras de reabilitação da cidade de Quelimane vão retomar no próximo mês.

Forquia responsabilizou o fiscal como sendo o grande culpado deste fracasso, dai que, o governo suspendeu-lhe das suas actividades.

Refira-se que as obras de reabilitação das estradas da cidade de Quelimane, cerca de 25km de extensão, vem sendo executadas desde 2008, mas com muitos adiamentos.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!