Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Empresa Líbia interessada em desenvolver infrarestruturas em Nacala

A Líbya África Investiment Portfolio (LAP) está interessada em desenvolver infraestruturas no Corredor de Desenvolvimento do Norte, (CDN), concretamente no porto de Nacala, na província nortenha moçambicana de Nampula. 

Esta informação foi avançada na última sexta-feira, em Maputo, pelo representante da LAP, Filipe Gago, durante uma conferência de imprensa convocada para anunciar os investimentos e interesses desta entidade no país. Entretanto, Gago sublinhou que a LAP ainda esta a avaliar a possibilidade de investir naquele que constitui um dos mais importantes corredores de desenvolvimento de Moçambique.

“Estamos a estudar, com a União Europeia, a possibilidade de investir no Corredor de Desenvolvimento do Norte, especificamente no porto de Nacala, que vai dar um impacto grande para o desenvolvimento de Moçambique. Esta zona tem um enorme potencial, sobretudo o porto o qual possui águas profundas, mas carece de infra-estruturas”, explicou.

De salientar que o governo moçambicano está a procura de financiadores para investirem na modernização do Porto de Nacala, bem como para construir a terminal de cereais naquela zona. Ainda, o executivo busca investimentos para a reconstrução de 77 quilómetros de linha férrea de Cuamba a Entre-Lagos, bem como aumentar as condições técnicas de toda a linha até Nacala, entre outros empreendimentos.

De salientar que o Governo concessionou o sistema ferroviário e o porto de Nacala em Janeiro de 2005 à Sociedade de gestão do Corredor de Desenvolvimento do Norte (51 por cento) e Caminhos de Ferro de Moçambique –CFM (49 por cento). Gago revelou que, para além de Nacala, a LAP está a analisar a possibilidade de financiar a construção Nacional da espinha dorsal, ou seja, linha de transmissão de energia eléctrica Tete- Maputo.

Trata-se da mais importante infra-estrutura de transmissão de energia, que vai ajudar na expansão da cobertura da rede de electricidade pelo país, bem como vai reduzir a dependência de Moçambique em relação a Africa do Sul no abastecimento da zona sul do país com este recurso.

Neste momento, o governo procura financiadores para a construção desta infra-estrutura, havendo garantias de alguns parceiros. O projecto estava inicialmente avaliado em cinco biliões de dólares norte-americanos, porém o estudo de menor custo realizado pelo Governo, através do Ministério da Energia, reduziu para metade os custos de construção desta linha. A LAP é uma espécie de fundo criado pelo Governo líbio em Fevereiro de 2006, com um capital para investimento de cinco biliões de dólares norte-americanos (USD).

Esta instituição foi criada com objectivo de garantir que os países africanos possam tirar maior proveito dos recursos naturais que possuem, reduzindo, desta forma a dependência externa e a pobreza. A LAP opera em 25 países africanos onde já investiu mais de dois biliões USD nas áreas de petróleo, minas, energia, entre outras. Entretanto, Gago sublinhou que a LAP investe nos sectores que são rentáveis, colocando de lado os sectores de saúde e educação.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!