Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Emissário das Nações Unidas denuncia assassinato de jornalista na Somália

O representante do Secretário-Geral das Nações Unidas e chefe da Missão de Assistência da ONU na Somália (UNSOM), Nicholas Kay, sublinhou a importância de proteger os jornalistas e defender a liberdade de imprensa, depois do assassínio, Domingo, de um repórter de televisão.

Libaan Abdullahi Farah ‘Qaran,’ jornalista da Kalsan TV, sedeada em Gaalkacyo, a capital de Mudug, na região centro-norte, teria sido morto quando regressava do seu trabalho. Nicholas Kay apresentou as suas “sinceras condolências” à família, aos amigos do falecido e a todos os profissionais da imprensa na Somália.

“A UNSOM tem como missão trabalhar ao lado das autoridades da Somália no reforço dos sectores da segurança e da justiça com vista a garantir a segurança no país e os autores de crimes violentos devem ser processados”, afirmou.

Ele sublinhou que Puntland enfrenta um período politicamente tenso com a aproximação das eleições locais e exortou a todos os actores políticos à contenção.

A UNSOM indicou que este caso recente eleva para cinco o número de jornalistas assassinados este ano na Somália, que continua a ser um dos países mais perigosos para os jornalistas no mundo.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!