Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Em Buchenwald, Obama condena o negacionismo “ignorante” e “odioso”

O presidente americano Barack Obama condenou nesta sexta-feira o discurso “ignorante e odioso” dos negacionistas durante visita ao antigo campo de concentração nazista de Buchenwald, no leste da Alemanha. Lembrou que seu país mantinha “ligações estreitas e duráveis” com Israel, ao evocar a memória de 56.000 pessoas, entre elas numerosos judeus, mortos em Buchenwald.

“Hoje em dia há até os que afirmam que o Holocausto não aconteceu jamais, rejeitando fatos e a verdade sem nenhuma base, de forma ignorante e odiosa”, declarou Obama durante um breve pronunciamento, ao final de uma visita ao campo, ao lado da chanceler alemã Angela Merkel e de dois sobreviventes. “Este local desmente por si só estas ideias, e nos lembramos que devemos enfrentar os que falsificam nossa história”, disse ele, numa alusão clara ao presidente iraniano Mahmud Ahmadinejad que nega o Holocausto.

Os prisioneiros deste campo, onde morreram 56.000 pessoas, “não poderiam advinhar que a nação de Israel emergiria da Shoah nem as ligações estreitas e duráveis entre esta nação e a minha”, declarou o presidente americano após recolher-se diante do memorial às vítimas. O presidente americano destacou igualmente que é preciso sempre “estar vigilante ante o avanço do Mal em nossa época”.

Obama também prestou homenagem à Alemanha, “uma vibrante democracia e um aliado importante da América”, por sua vontade de enfrentar abertamente seu passado. Ele também lembrou que seu tio-avô, Charlie Payne, havia participado, como soldado, da libertação de um dos campos satélites de Buchenwald em abril de 1945.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!