Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

África do Sul, pronta para o Mundial de Futebol

A cerca de 13 meses do maior evento futebolístico do planeta, a Àfrica do Sul está quase pronta para acolher adeptos de todo o mundo.
Viajei por seis cidades, das nove, que irão acolher o Campeonato do Mundo de Futebol de 2010 e fiquei não só com a clara indicação que os preparativos estão perto do fim como estou  impressionado positivamente com as construções e reabilitações que estão a decorrer (dos aeroportos aos estádios, das estradas aos locais de acomodação), e também a hospitaleira e calorosa recepção que os turistas recebem à chegada, no aeroporo internacional Oliver Tambo, é quase total o engajamento deste povo em torno deste evento até um novo estilo de dança foi lançado, o diski dance.

O receio de alguns, de que a Àfrica do Sul não estaria a altura do desafio, está completamente fora de questão. Os receios sobre os cortes de energia, por exemplo, que em 2008 quase paralisaram o país estão ultrapassados com garantias da empresa nacional de energia, Eskom. Contudo nos estádios onde irão decorrer os jogos foram instalados geradores de energia que irão funcionar durante as partidas, aliás esta é uma prática habitual em provas da FIFA que mesmo na Alemanha em 2006 exigiu que assim fosse, sendo a energia fornecida pela Eskom a fonte alternativa.

Segurança

Os elevados índices de criminalidade, em algumas cidades sul africanas, e a preocupação mundial em relação a ataques terroristas, coloca a segurança de jogadores e adeptos de futebol durante o Mundial como uma das principais preocupações.
Porém Danny Jordan, presidente do comité organizador do Campeonato do Mundo de Futebol África do Sul 2010, transmite confiança e assegura que os visitantes nada tem a temer.
“Nós acolhemos recentemente provas mundiais de rugby e cricket. Regularmente recebemos equipes e selecções internacionais  e em nenhuma ocasião foi registado algum problema de segurança. Acredito que não teremos nenhum problema durante a Taça das Confederações ou durante o Campeonado do Mundo de 2010”.
Cerca de 75 milhões de dólares foram investidos em equipamento do que mais moderno existe para garantir a segurança nos céus, nas auto estradas, nos estádios e nas ruas foi aquirido. Aviões não tripulados, helicópteros, carros de alta velocidade para controlo de tráfego, até os Nyala (carros de repressão usados durante a era do apartheid) estão prontos para voltar as estradas. Perto de 70 milhões de dólares foram investidos na contratação de 41 000 policias e na formação específica de toda a força policial, os mais variados cenários de confrontos com adeptos, criminosos comuns ou mesmo com terroristas tem sido intensamente treinados e simulados. Em caso de necessidade, está previsto que que qualquer um dos estádios seja evacuado em 8 minutos.

Marketing

Um anúncio televisivo transmite a inspiração sul africana e o convida adeptos de todo o mundo a vir ao país dançar ao rítmo do futebol “venham sentir um rítmo nunca antes visto”, o diski dance. Uma dança que os sul africanos pretendem que seja dançada por todos, em todos os lugares, aprendido pelo mundo inteiro antes de 2010 através de uma multi milionária campanha que está a ser veiculada em canais de televisão com cobertura global (BBC World, CNN International, Sky, EuroSport, Fox) e também na televisão sul africana.
Antes mesmo do lançamento da campanha, e depois do sucesso da primeira fase de venda de bilhetes, abriu já a segunda fase da venda com o impressionante registo de 185 mil pedidos nas primeiras oito horas.

Os estádios que estão prontos

Nos estádios fazem-se os últimos retoques, até porque a Àfrica do Sul, tal como os últimos países que organizaram mundiais de futebol (Japão/ Coreia do Sul em 2002 e Alemanha em 2006), irá organizar a Taça das Confederações entre 14 e 28 de Junho. Um torneio disputado pelos campeões dos seis Continentes, pelo Campeão do Mundo em título assim como pelo País Organizador,  uma espécie de ensaio geral antes do Campeonato do Mundo. “Ter este torneio um ano antes dá-nos tempo suficiente para testar todos os sistemas antes das 32 nações e os adeptos do futebol aterrarem em 2010. É importante para nós testar aspectos como acomodação, transporte, sistemas informáticos, bilhetes, necessidades dos media e todos outros pormenores …” afirma Danny Jordan.

Contudo nenhum dos novos estádios serão usados na Taça das Confederações, os organizadores farão uso de quatro estádios renovados nas cidades de Johannesburg, Pretória, Rustenburg e Bloemfontein.

Erguido como santuário do rugby o estádio de Loftus apenas recentemente fez amizade com o futebol sendo a casa das equipes do Mamelode Sundowns e do SupersSport United, assim como da equipe de rugby dos Bulls. Para acolher o Mundial de 2010 esta arena desportiva foi apenas restaurada em alguns pontos essenciais – por exemplo o sistema sonoro, os ecráns gigantes são de última geração, o tecto da zona bancada sombra foi susbtituído –, o relvado será substituído, as zonas de acomodação dos VVIP´s foram também restauradas e as zonas circundantes adaptadas para as necessidades específicas que a FIFA requere. O estádio tem o seu nome em homenagem a Robert Owen Loftus Versfeld um dos primeiros impulsionadores do desporto na cidade de Pretória.

Cenário de triunfo e trajédia, Ellis Park é um dos mais antigos estádios sul africanos. Em 1922, durante um levantamento de mineiros, alguns soldados que continham a rebelião foram mortos no local que na altura era apenas um relvado. Mais recentemente, em 2001, nova trajédia regista-se no estádio com a morte de 42 adeptos durante um derby local entre o Kaizer Chief e o Orlando Pirates. O nome do estádio foi dado em homenagem a JD Ellis, presidente da camara municipal que negociou a venda do terreno à União de Rugby do Transval. Foi neste estádio que em 1995 que a equipe nacional, os Springboks, venceram o Campeonato do Mundo de Rugby. Para continuar ligado a história do desporto sul africano o Ellis Park foi reabilitado na sua estrutura e àreas circundantes, o relvado foi substituido num investimento de cerca de 500 milhões de randes.

Situado no centro da cidade entre o jardim zoológico e a zona comercial o estádio Free State será com toda a certeza o mais bem situado dos todos estádios que irão sediar o Campeonato do Mundo de Futebol de 2010 não só pelas facilidades de acessos e espaços de lazer mas também pela agradável zona exterior que irá encantar os fans do futebol. É actualmente a casa da equipe de rugby Cheetah e da equipe de futebol dos Bloemfontein Celtic.

Construído no coração da terra dos ricos proprietários de minas de platina, a tribo dos Bakofeng, este estádio foi construído em 1995 para o Mundial de Rugby. De então até hoje tem sido ocasionalmente usado em partidas de rugby e de futebol da primeira liga sul africana. Alguns mínimos melhoramentos foram efectuados para atender aos requisitos exigidos pela FIFA.
Rustenburg tem a honra e também o desafio de ser a mais pequena das cidades que irá acolher o Mundial de Futebol de 2010, porém a sua proximidade com a cidade perdida de Sun City e da reserva natural de Pilanesberg garantem não só uma acomodação de classe alta qualidade mas também entretenimento para o turistas que vierem.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!