Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Eleições gerais: máquina da Frelimo carbura na Europa

A campanha eleitoral para as quartas eleições presidências e legislativas e para as primeiras eleições provinciais em Moçambique arrancou este Domingo no Círculo da Europa (Portugal e Alemanha), com a Frelimo, no poder, a marcar visibilidade.

Os moçambicanos vão às urnas no dia 28 de Outubro próximo para eleger o Presidente da República, deputados da Assembleia da Republica (AR), o parlamento moçambicano, e membros das assembleias provinciais. No caso de Portugal, a máquina da Frelimo começou a carburar em três cidades, nomeadamente Lisboa, Porto e Coimbra, locais de maior concentração de potenciais eleitores moçambicanos nesta parcela do mundo.

Em Lisboa, o local escolhido para o lançamento da campanha foi um dos Hotéis desta capital portuguesa, onde membros e simpatizantes da Frelimo e outros convidados ouviram e aplaudiram o historial das realizações do Governo (da Frelimo) no mandato prestes a terminar, em função do compromisso assumido em 2004 através do seu manifesto eleitoral e que, segundo o balanço, foi “cumprido integralmente”. Afonso Camba, chefe da brigada Central do Partido Frelimo mandatada para ajudar “os camaradas” em Portugal na preparação da campanha e no acompanhamento do processo de “caça ao voto” neste Círculo eleitoral, sublinhou resumidamente as várias realizações feitas ao longo do quinquénio prestes a terminar.

Camba citou como exemplo a reversão a favor do Estado moçambicano da Hidroeléctrica de Cabora Bassa (HCB), que acelera a electrificação do país, o aumento dos índices de produção agrícola, a construção da ponte “Armando Emílio Guebuza”sobre o Rio Zambeze, que estabelece a ligação rodoviária entre o Sul, Centro e Norte de Moçambique, entre outras acções. Ele sublinhou, igualmente, o facto de Moçambique constituir exemplo de manutenção da paz e da reconciliação nacional depois de uma sangrenta guerra de 16 anos que terminou em 1992, apelando para a promoção do espírito de unidade nacional e tolerância que ate aqui caracteriza os moçambicanos.

Afonso Camba exortou os moçambicanos que vivem em Portugal para votarem na Frelimo e no seu candidato presidencial, Armando Guebuza, como forma de garantir a continua melhoria das suas condições de vida dos cidadãos. O projecto de governação da Frelimo para o próximo quinquénio assenta em cinco pilares, nomeadamente a consolidação da unidade nacional, paz e democracia, combate a pobreza e promoção da cultura de trabalho, boa governação e cultura de prestação de contas, consolidação do Estado de Direito, reforço da soberania e reforço da cooperação internacional. Entre os presentes, na ocasião, esteve o Embaixador de Moçambique acreditado em Lisboa, Miguel Mkaima, que exprimiu a sua satisfação pela forma como os moçambicanos na diáspora, particularmente em Portugal, se tem empenhado na valorização do seu País.

Por causa das especificidades de Portugal e tendo em conta a forma dispersa em que vivem os imigrantes moçambicanos, na terra de Camões, a campanha eleitoral da Frelimo vai privilegiar o contacto porta-a-porta. Em relação a Alemanha, onde igualmente a campanha arrancou este Domingo, segundo informações recolhidas pela AIM, o partido decidiu criar grupos de trabalho para garantir a vitoria da Frelimo e do seu candidato as presidências. Os grupos de trabalho contam com o apoio de membros de Brigada Central do partido também mandatada de Maputo para o efeito.

Relativamente aos outros partidos que concorrem nas eleições de 28 de Outubro, a AIM, em Lisboa, conseguiu conversar com o Representante Político da Renamo em Portugal, António Pedro Chichone. Não foi possível estabelecer o contacto com o Representante do MDM (Movimento Democrático de Moçambique), liderado por Daviz Simango. Questionado este Domingo pela AIM, em Lisboa, sobre a programação e lançamento da campanha eleitoral da Renamo nesta parcela do mundo, António Chichone sublinhou que ainda estava a ultimar os “acertos” para levar a cabo a “caça ao voto”.

“O nosso esquema é ir atrás das pessoas”, disse Chichone, numa clara alusão ao contacto porta-a-porta. Inserido no âmbito da campanha eleitoral e para promover este partido da oposição, a Renamo lançou o seu site na Internet onde se pode consultar vário material sobre este candidato a deputado da Assembleia da República (AR). Durante o segundo recenseamento eleitoral de raiz na diáspora que decorreu de 10 a 29 de Julho deste ano, com vista ao pleito de 28 de Outubro, o Secretariado Técnico de Administração Eleitoral (STAE) registou 1.154 potenciais eleitores no Círculo Eleitoral da Europa, que inclui Portugal e Alemanha. Deste número de potenciais eleitores, 848 foram recenseados em Portugal e os restantes 306 na Alemanha.

Em Portugal, em particular, o arranque da campanha eleitoral para o pleito de 28 de Outubro em Moçambique coincidiu com o inicio oficial da campanha para as legislativas de 27 de Setembro corrente neste pais europeu.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!