Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Egito vai julgar membros da Irmandade acusados de tortura

Dois membros da Irmandade Muçulmana no norte do Egito foram indiciados por acusações de prender e torturar estudantes durante os protestos contra o actual presidente do país, Mohamed Mursi.

As acusações são um raro reconhecimento dos supostos papéis que alguns dos apoiantes do presidente tiveram nos ataques contra os seus oponentes.

O Departamento de Estado dos EUA sugeriu este mês que o Egito estava selectivamente a processar pessoas acusadas de insultar o governo, ao passo que ignoravam ou minimizavam os ataques a manifestantes anti-governo. Os oponentes de Mursi também o acusam de tentar dominar as instituições do Estado como o judiciário.

O presidente disse estar a trabalhar para livrar o governo de corruptos remanescentes da era de Hosni Mubarak, deposto por levante popular em 2011.

O escritório da promotoria em Damanhour disse, Domingo, que os homens foram acusados de deter e espancar estudantes em Novembro no escritório da Irmandade na cidade do Delta do Nilo durante os conflitos entre os oponentes de Mursi e seus apoiadores islâmicos.

Os representantes da Irmandade no Cairo não estavam imediatamente disponíveis para comentários.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!