Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Economia moçambicana continua a registar bom desempenho

Apesar da conjuntura externa pouco favorável, o desempenho económico de Moçambique, em 2012, foi extraordinário devido às políticas económicas sólidas que permitiram o crescimento, baixar a inflação e reforçar as reservas internacionais, segundo a recente avaliação do Fundo Monetário Internacional (FMI).

A mesma instituição diz também ter concluído a quinta avaliação do desempenho económico moçambicano no âmbito do acordo trienal ao abrigo do Instrumento de Apoio à Política Económica (PSI). E mantém a estimava segundo a qual o crescimento real do Produto Interno Bruto (PIB) irá atingir 7,5 por cento no ano prestes a findar.

Este cenário será estimulado pelo “desempenho robusto dos serviços e um contributo mais significativo do sector de carvão, enquanto a inflação permanece em baixa”, segundo escreve um comunicado enviado ao @Verdade.

Embora os riscos mundiais sejam consideráveis, o aumento da extracção de carvão continuará a impelir o crescimento económico de Moçambique. A estabilidade económica do país e o conjunto de políticas prudentes postas em práticas nos últimos anos devem ajudar a economia a fazer face à desaceleração mundial.

De acordo com o mesmo comunicado, o abrandamento gradativo da política monetária em 2012 apoiou, entre outros aspectos, a expansão do crédito ao sector privado, preservando igualmente o ambiente de baixa inflação.

“Todos os critérios de avaliação para o final de Junho de 2012 foram cumpridos, com a excepção da ultrapassagem temporária do limite ao crédito líquido ao Governo. Os progressos nas reformas estruturais também foram, de modo geral, satisfatórios, apesar de alguns atrasos”.

O programa económico das autoridades no âmbito do PSI continuará a enfatizar a preservação da estabilidade económica e a sustentabilidade da dívida, em simultâneo à promoção do desenvolvimento económico e social.

A política monetária estará virada para a expansão do crédito ao sector privado, sem perder de vista o compromisso com a meta de inflação a médio prazo. O empenho em reforçar a supervisão e o quadro de gestão de crises protegerá o sector financeiro dos impactos transfronteiriços.

O FMI refere ainda que com base num orçamento prudente para 2013, o objectivo das políticas públicas será utilizar o espaço fiscal disponível para suprir as necessidades infra-estruturais e apoiar o alargamento das redes de protecção social de modo a estimular o crescimento inclusivo, em consonância com a estratégia de redução da pobreza (PARP) das autoridades para o quadriénio 2011-2014.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!