Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Doença desconhecida deixa cegos quatro membros da mesma família em Luanda

Quatro membros da mesma família, residentes no município do Kilamba Kiaxi, arredores da capital angolana, Luanda, ficaram cegos por causa de uma doença desconhecida, noticiou no fim de semana a agência angolana de notícias (Angop).

Entre as vítimas figuram os adolescentes Elizabeth Mateus e João Cláudio Mateus, de 11 e 14 anos de idade, respectivamente, bem como Jonsom Mateus (18 anos) e Nzola Mateus (20 anos). Destes dois últimos, o primeiro contraiu cegueira total e o segundo parcial, precisou o pai das vítimas identificado por Macuntondo Lemos.

Em consequência da doença, Nzola Mateus teve que abandonar as suas aulas do ensino normal no curso de ciências físicas e biológicas, no Instituto Médio do Capolo II, em Luanda.

“Tem sido difícil a situação, dói ver essas crianças presas à escuridão, mas continuam a estudar em ensino especial, mesmo com muitas dificuldades”, lamentou o progenitor citado pela Angop. Sensibilizada com a situação, a Associação Jovens Unidos e Solidários (AJUS) doou bens alimentares, incluindo arroz, açúcar e leite, e algum valor monetário para ajudar no pagamento das despesas como a energia eléctrica cujo fornecimento já tinha sido cortado.

Para o presidente da AJUS, a constatação é lamentável e a doação insignificante diante da dor da família, uma vez que, argumentou, os bens doados apenas vão ajudar a suprir algumas necessidades, enquanto que “o fundamental é o calor humano”.

Segundo ele, são atitudes do género que deixam os necessitados mais confortados, razão pela qual encorajou outras franjas da sociedade a seguir o exemplo da AJUS, mobilizando-se para iniciativas semelhantes.

Apelou à sociedade em geral, aos governantes e aos empresários, em particular, no sentido de apoiarem a família, visto serem crianças e jovens em idade escolar que perderam a visão. Aproveitou a ocasião para lançar o projecto denominado “Angola precisa de nós, eu amo Angola” que visa reforçar o espírito de solidariedade na sociedade.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!