Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Disponíveis USD 17 milhões contra a doença do amarelecimento de coqueiros

Cerca de 17 milhões de dólares norte-americanos deverão ser aplicados até 2014 com vista à minimização dos efeitos “devastadores” da doença do amarelecimento de coqueiros que afecta as províncias da Zambézia e Nampula, particularmente.

O montante acaba de ser disponibilizado pelo programa nacional Millenium Challenge Account (MCA), patrocinado pelos Estados Unidos da América (EUA) e destina-se a financiar trabalhos de pesquisa de variedades de coqueiros resistentes ou tolerantes à doença, melhoramento da produtividade de coqueiros não afectados, reabilitação das áreas endémicas e controlo de áreas parcialmente destruídas, segundo o Centro de Promoção de Agricultura (CEPAGRI).

Na Zambézia, a doença do amarelecimento de coqueiros afecta cerca de 70 mil famílias de diferentes distritos que dependem desta cultura para aumentar as suas rendas, salienta o CEPAGRI, realçando que os esforços em curso visam garantir o funcionamento da indústria nacional de óleo e sabões que tem como sua principal matéria-prima o coco, cuja produção tem estado a reduzir devido ao agravamento da doença.

Principais mercados

Os principais mercados para o óleo de copra são a cidade de Maputo, África do Sul e Europa, acrescenta aquela instituição do Ministério da Agricultura, salientando, entretanto, que apesar de a comercialização do óleo estar a crescer a nível internacional, e com preços mais atraentes, as empresas nacionais fornecedoras daqueles produtos “não estão em condições de satisfazer a procura devido à diminuição da sua produção”, salienta ainda o CEPAGRI.

Para além daquela praga, “um outro problema é a presença de morcegos que atacam de forma letal plantações de coqueiros no distrito de Jangamo, província de Inhambane”, acrescenta aquele organismo estatal.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!