Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Diarreia reduz mas mata três pessoas na cidade de Maputo

Três indivíduos morreram vítimas de diarreias e doenças coexistentes, entre Janeiro e Fevereiro passados, em que foram registados 6.700 casos, dos quais 3.200 crianças de zero a quatro anos de idade, 1.000 menores de cinco a 14 anos de idade e 2.400 pessoas com mais de 15 anos de idade.

Alice de Abreu, médica chefe da Direcção de Saúde de Cidade de Maputo, explicou ao @Verdade que, comparativamente a 2013, houve uma redução de indivíduos padecendo de diarreias na ordem de 10 porcento. Entretanto, isso não conforta a ninguém e há necessidade de se continuar a trabalhar sob o lema “o nosso maior valor é a vida”.

Para aqueles munícipes que padecem de uma doença igual a que nos referimos ou que tenham um parente nessa situação, a médica chefe indicou que podem recorrer urgentemente a quatro unidades sanitárias na capital do país, nomeadamente os hospitais gerais de Chamanculo, José Macamo, de Mavalane e da Polana Caniço.

Para além desses hospitais, pode-se obter atendimento nos Serviços de Urgência dos centros de saúde de Xipamanine e do Bagamoyo, que funcionam 24 horas por dia, de acordo com Alice de Abreu, para quem, neste momento, a Direcção de Saúde de Cidade de Maputo está a activar grupos multisectoriais, técnicos e agentes de medicina preventiva e organizações comunitárias com vista a fazer face à diarreia para que reduza cada vez mais com recurso a palestras nas unidades sanitárias e nas comunidades, sobretudo as que são consideradas propensas à eclosão da doença.

A médica chefe chama a atenção dos citadinos para um aspecto bastante fundamental em relação à contração da diarreia e sua terapia: “há várias situações (nos lugares onde vivemos) que podem nos levar a ter diarreias cujo tratamento pode ou não precisar de um antibiótico”.

Segundo Alice de Abreu, existem diarreias causadas por um vírus e o melhor tratamento para ela é hidratação, principalmente para as crianças, uma vez que o antibiótico não tem nenhum efeito sob o vírus. Deve-se saber que nem sempre que se vai ao hospital receitar-se-á comprimidos, mas sim, os médicos podem dar conselhos que devem ser seguidos à risca.

Nos casos em que os terapeutas receitam medicamentos, a sua administração no paciente não devem ser negligenciada, principalmente se forem Sais de Reidratação Oral para impedir que o organismo perca líquidos.

Aliás, Alice de Abreu, sugere também que se pode produzir Sais de Reidratação Oral em com base no açúcar, sal e água. Ela lembra que a diarreia não inibe que o doente se alimente e se estiver debilitado deve-se reforçar a dieta com papas, sopas, leites, frutas, dentre outros alimentos.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!