Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Deve-se evitar excessos alimentares e bebidas alcoólicas na quadra festiva, segundo o MISAU

O Ministério da Saúde (MISAU) apela aos cidadãos para que prestem bastante atenção no prazo de validade dos alimentos que consumirem durante a quadra festiva, evitem excessos de comidas gordurosas, com muito sal, açúcar e o consumo de bebidas alcoólicas deve ser rigorosamente moderado.

A directora nacional-adjunta para a área de assistência médica, Helenia Amade, disse que os dias festa devem ser considerados como tal e não para causar desmandos, principalmente por conta do consumo de bebidas alcoólicas. Deve prevalecer o bom senso nas pessoas.

Falando esta terça-feira (11), em Maputo, numa conferência de imprensa que visava dar a conhecer o grau de preparação dos hospitais nacionais para esta quadra festiva, a fonte considerou que se a sociedade não “tomar as medidas prevenção” não existe preparação que surta os efeitos desejados.

Para o MISAU, as escalas de trabalho em diferentes unidades sanitárias, para a quadra festiva, iniciam no dia 20 de Dezembro em curso e só cessam a 05 de Janeiro próximo.

Helenia Amade, que também e ginecologista e obstetra, insistiu na necessidade de se evitar o consumo do álcool porque, segundo justificou, tem várias consequências negativas nas famílias e na sociedade em geral. Uma delas é a violação de crianças e mulheres e a outra é a sinistralidade rodoviária e, por conseguinte, mortes e traumas.

Na quadra festiva passada, “as crianças de zero a 14 anos de idade foram as maiores vítimas de violação sexual devido ao consumo abusivo do álcool”, afirmou a fonte, ajuntando que a violência doméstica é outra consequência perniciosa, cujos efeitos são também devastadores para as famílias. Em todos os hospitais do país, os hospitais dispõem de 1.700 unidades de sangue.

“Não estamos satisfeitos com esta quantidade e gostaríamos de ter mais, mas o que existe é aceitável (…) para que possamos trabalhar”.

Num outro desenvolvimento, Helenia lembrou que o uso de objectos pirotécnicos, vulgos paixões, deve ser feito por pessoas preparadas para o efeito, porque são extremamente perigosos. Podendo causar incêndios, amputação dos membros inferiores ou superiores, entre outros danos humanos.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!