Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Detidos pescadores ilegais de tartaruga marinha

Pelo menos oito pescadores artesanais do distrito costeiro de Moma, província de Nampula, Norte de Moçambique, foram detidos em conexão com a captura ilegal de tartarugas marinhas, uma espécie protegida por estar em risco de extinção. A captura e comercialização da tartaruga marinha é proibida em muitos Estados do mundo, incluindo Moçambique, por estar em risco de extinção.

Em todo o mundo, existem apenas sete tipos de tartarugas marinhas, cinco das quais ocorrem ao longo da costa moçambicana. Assim, os detidos deverão responder em tribunal, acusados de terem violado a lei ao capturarem cerca de 40 tartarugas. Eles foram detidos recentemente pelo Polícia moçambicana (PRM) em resposta a uma denúncia popular. Segundo Tiago Lidimba, gestor do Programa Marinho do Arquipélago das Primeiras e Segundas Ilhas, um complexo composto por dez ilhas ao longo da costa das províncias de Nampula e Zambézia, a captura ilegal ocorreu na Ilha Careca, distrito de Moma.

Depois da denúncia, uma equipa conjunta de profissionais da Marinha de Guerra, fiscais comunitários dos distritos de Angoche e Moma, do Ministério das Pescas e agentes da PRM deslocou-se ao terreno onde encontraram nove tartarugas vivas ainda na posse dos pescadores. Essas ainda foram devolvidas ao mar, segundo o jornal “Noticias”. Ainda no local, as autoridades recuperaram um total de quatro carcaças de tartarugas que já tinham sido mortas pelos prevaricadores. Neste momento decorrem diligências visando localizar as outras tartarugas que terão sido capturadas por estes pescadores.

Comentando sobre a caça ilegal de tartarugas marinhas, a bióloga Alice Costa, do Fundo Mundial para a Natureza, explicou que o consumo da carne daqueles animais é uma prática milenar, hábito responsável pela carência deste tipo de animais. Costa disse que, além da carne da tartaruga, apreciada pelos seres humanos, em Moçambique a caça ilegal daqueles animais é também motivada pela procura da sua carcaça usada no fabrico de objectos de adorno como pulseiras, armaduras para óculos, entre outros bens.

As tartarugas marinhas também contribuem para a manutenção dos ecossistemas marinhos, uma vez que, por exemplo, elas se alimentam de seres (chamadas “águas vivas”) predadoras das larvas de peixe. Assim, o facto de as tartarugas eliminarem as “águas vivas” propícia um ambiente para a reprodução do peixe que constitui fonte de rendimento e base alimentar para várias comunidades costeiras de Moçambique.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!