Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Desmond Tutu apela à família Mandela a não sujar o nome de Madiba

O Arcebispo Emérito Desmond Tutu, Prémio Nobel da Paz, apelou à família do ex-Presidente sul-africano, Nelson Mandela, que se encontra hospitalizado em estado crítico, mas estável, para que não suje o nome do ícone da luta contra o Apartheid.

“Por favor, não devemos somente pensar em nós. É como se estivéssemos a cuspir na cara de Nelson Mandela. A sua angústia, agora, é a angústia da nação e também do mundo. Queremos ampará-los, apoiá-los, para que o nosso amor por Madiba brilhe através de vocês”, disse Tutu, em comunicado pela imprensa.

Desmond Tutu convidou ainda a família Mandela a procurar no seu íntimo o apoio de que Nelson Mandela, carinhosamente tratado por Madiba, e o país necessitam neste momento.

Este apelo surge após Mandla Mandela, neto mais velho do ícone da luta contra o Apartheid, ter lançado duras críticas à sua família na semana passada logo a seguir à ordem de entrega dos restos mortais do seu pai e de outros membros, emitida pelo Tribunal Supremo de Eastern Cape.

Na quarta-feira da semana passada, o tribunal ordenou o retorno dos restos mortais dos três filhos de Mandela de Mvezo, para onde tinham sido transladados há dois anos, para Quno.

As ossadas são do filho mais velho de Mandela, Madiba Thembekile, que perdeu a vida num acidente de viação em 1969; do pai de Mandla Mandela, Makgatho Mandela, falecido em 2005; e da primeira filha de Mandela, Makaziwe Mandela, que morreu ainda criança em 1948.

Presidência lamenta o ocorrido

A Presidência sul-africana lamentou as disputas no seio da família do herói da luta anti-apartheid, Nelson Mandela, e preferiu distanciar-se das mesmas. “É lamentável que haja uma disputa entre os membros da família, e esperamos que ela seja resolvida amigavelmente o mais rápido possível”, declarou o porta-voz da Presidência, Mac Maharaj, numa entrevista à AFP-TV.

Quinze membros da família do ex-Presidente, hospitalizado em estado crítico, foram parar à justiça na semana passada contra o neto mais velho, Mandla, por um caso de transferência de sepulturas familiares.

Mandla havia, unilateralmente, transferido em 2011 os restos mortais do seu pai, seu tio e tia do círculo familiar de Quno, aldeia de infância de Nelson Mandela, onde quer ser enterrado, para Mvezo. Para tal, Mandla concedeu um grande projecto turístico ao chefe tradicional dessa aldeia.

O ícone da liberdade e da reconciliação, que completará 95 anos a 18 de Julho, foi hospitalizado no dia 8 de Junho devido a uma reincidente infecção pulmonar que o atormenta há dois anos e meio

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!