Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Desinformação sobre cólera gera violência em Cabo Delgado

Pelo menos duas pessoas podem ter sido atingidas, esta quinta-feira (14) por balas da Polícia, na sequência de uma manifestação junto do edifício do governo do Posto Administrativo de Murrébuè, distrito de Mecufi, em Cabo Delgado, Norte de Moçambique, onde uma multidão exigia a libertação de detidos sob suspeitas de envolvimento em actos de vandalismo no centro de tratamento de cólera, esta quarta-feira (13).

Depois de assassinato de um líder comunitário por espancamento protagonizado por um grupo de populares em Janeiro findo, a região volta a registar mais um caso de violência, que culminou com a vandalização, quarta-feira, do centro de tratamento de cólera, segundo escreve hoje o Diário de Moçambique (DM).

Na sequência dessa desordem, a Polícia deteve indivíduos alegadamente envolvidos nesses actos, ao que se seguiu, esta quinta-feira, uma marcha de multidão empunhando catanas, machados e outros objectos contundentes, para o posto policial local para exigir a libertação dos detidos.

Na tentativa de amainar os ânimos dos insurgentes, a PRM teve que disparar para o ar para dispersar os amotinados. Em conexão com essa reacção das autoridades, há informações segundo as quais pelo menos dois indivíduos pessoas foram baleados na circunstância.

Serviços públicos encerrados

Alguns serviços públicos mantiveram-se fechados na sede do posto administrativo de Murrébuè e a polícia mobilizou suas unidades para o controlo da situação que tende a assumir proporções alarmantes, com o crescimento da onda de desinformação sobre a origem de cólera e diarreias agudas que assolam Cabo Delgado de forma cíclica.

Os apontados como desinformadores apontam o dedo acusador aos líderes comunitários, profissionais de Saúde e membros do Governo como sendo os responsáveis pelo surgimento de cólera e diarreias agudas nas comunidades, por estes estarem a disseminar mensagens sobre medidas preventivas contra as referidas enfermidades frequentes no período chuvoso.

As autoridades de Cabo Delgado mostram-se preocupadas com o incremento de casos desinformação nos distritos que registam casos de diarreia aguda, por estes actos dificultarem o trabalho de atendimento aos doentes que precisam de cuidados especiais dos profissionais de Saúde destacados para os centros de tratamento de cólera.

Em Cabo Delgado, foi esta semana confirmada a cólera na cidade de Pemba e nos distritos de Mecufi e Pemba-Metuge, com um total de 282 casos e dois óbitos desde o dia 29 de Janeiro findo, deixando de lado os mais de 500 casos registados desde princípio do ano.

Entretanto, o distrito de Ancuabe entra já na lista das regiões de Cabo Delgado com diarreias agudas, ao registar perto de cinquenta casos com oito óbitos.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!