Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Democratas sofrem revés um ano após eleição de Obama

Os democratas sofreram derrotas importantes nos Estados Unidos na terça-feira: os governadores da Virgínia e de Nova Jersey foram superados nas urnas por candidatos republicanos, em votações locais que eram consideradas um grande teste para o presidente Barack Obama, um ano antes das cruciais eleições de 2010.

O republicano Chris Christie derrotou o actual governador de Nova Jersey, o democrata Jon Corzine. Christie obteve 49% dos votos contra 44% para Corzine, em uma das eleições mais disputadas de terça-feira nos Estados Unidos, segundo as projeções dos canais NBC e CNN. Corzine foi apoiado activamente pelo presidente Barack Obama, que fez campanha a seu favor no domingo, mas foi derrotado em uma disputa acirrada por Christie, que conquistou assim um antigo reduto democrata para os republicanos.

Na Virgínia, os democratas também sofreram uma derrota, para o republicano Bob McDonnell, eleito governador com 59% dos votos, segundo estimativas da imprensa. Os resultados da terça-feira eram consideradas um teste um ano antes da votação crucial de meio de mandato do presidente Obama, que renovará um terço do Senado, toda a Câmara de Representantes e mais de dois terços dos cargos de governador.

O porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, tentou minimizar a importância das eleições locais. “Não acreditamos que signifiquem muito para 2010. Não penso que o presidente as considere significativas para nossos esforços legislativos e para o futuro político”, comentou.

No norte do estado de Nova York, onde estava em jogo uma cadeira no Congresso federal, a eleição foi um prémio de consolo para os democratas, cujo candidato Bill Owens se impôs com 49% dos votos, segundo projeções da NBC. O “outsider” do Partido Conservador, Douglas Hoffman, apoiado pela ala à direita dos republicanos, recebeu 45% dos votos.

Em outra eleição importante de terça-feira, mas sem consequências para a batalha entre republicanos e democratas, o prefeito de Nova York e homem mais rico da cidade, Michael Bloomberg, foi reeleito para um terceiro mandato consecutivo de quatro anos.

Bloomberg, candidato independente, obteve 51% dos votos contra o democrata William Thopmson, que apesar de ter superado amplamente as previsões das pesquisas com 46% – segundo projecções do jornal New York Times e do canal NBC – não conseguiu tirar o comando da cidade do magnata dos meios de comunicação.

Eleito pela primeira vez em 2001, dois meses depois dos atentados de 11 de setembro, Bloomberg conseguiu assim um terceiro mandato, depois de investir na campanha eleitoral 100 milhões de dólares de sua fortuna de US$ 17 biliões. Ao mesmo tempo, o estado do Maine rejeitou em referendo uma lei promulgada em maio que autoriza o casamento gay. Por 53% a 47%, após a apuração de 87% dos votos, os eleitores do Maine foram contrários à lei aprovada em maio.

A lei, aprovada pelo Congresso estadual e promulgada pelo governador John Baldacci em Maio, autorizava o casamento homossexual, também permitido em outros cinco estados do país.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!