Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Custo de vida voltou a estar mais caro em Março na Beira

O nível de Vida na Cidade da Beira voltou a estar mais caro no mês de Março, segundo dados do Instituto Nacional de Estatísticas (INE) que ilustram um agravamento do nível geral de preços na ordem dos 1,61% relativamente ao mês de Fevereiro.

As divisões de Alimentação e Bebidas não alcoólicas e de Habitação, Água, Gás e Outros combustíveis tiveram aumentos de preços na ordem de 1,38% e 5,10%, respectivamente. Ambas contribuíram no total da inflação mensal com cerca de 1,52 pontos percentuais positivos.

O aumento dos preços da Água canalizada (30,2%), do Tomate (48,1%), da Couve (13,9%), do Petróleo para iluminação (7,7%), do Repolho (13,4%), da Cerveja (7,9%) e da Cebola (2,9%), contribuiu no total da inflação mensal com cerca de 1,76 pontos percentuais positivos. O INE revela que de Janeiro a Março, houve um aumento do nível geral de preços na ordem dos 9,75%. A divisão da Alimentação e Bebidas não alcoólicas contribuiu no total da inflação acumulada com 8,60 pontos percentuais positivos.

O Tomate, a Couve, a Água canalizada, o Coco, o Repolho, a Cebola e o Milho em grão foram os produtos de maior impacto no total da inflação acumulada ao contribuírem com 8,21 pontos percentuais positivos. O INE revela ainda que relativamente a igual período de 2009, os preços do mês em análise registaram um aumento na ordem dos 9,30%. A divisão da Alimentação e Bebidas não alcoólicas contribuiu no total da inflação homóloga com 7,16 pontos percentuais positivos.

Beira supera média nacional

Entretanto, quando comparado com os dados recolhidos nas Cidades de Maputo, Beira e Nampula ao longo do mês de Março de 2010, a capital provincial de Sofala registou um agravamento acima da média nacional, que se situou na ordem de 1,17 por cento. Segundo o INE, o agravamento dos preços das divisões de Alimentação e Bebidas não alcoólicas (0,87%) e de Habitação, Água, Gás e Outros combustíveis (4,09%), teve um impacto no total da inflação mensal nacional de cerca de 1,01 pontos percentuais positivos.

O aumento dos preços da Água canalizada (26,7%), da Couve (13,2%), do Arroz (3,6%), do Alface (22,6%), da Batata-doce (12,9%), do Peixe seco (6,5%) e do Petróleo para iluminação (4,9%), contribuiu no total da inflação mensal com cerca de 1,19 pontos percentuais positivos. Nos primeiros tês meses do ano corrente o país registou um aumento do nível geral de preços na ordem dos 6,17%. A divisão da Alimentação e Bebidas não alcoólica contribuiu no total da inflação acumulada com 5,17 pontos percentuais positivos. O Tomate, a Couve, o Arroz, a Água canalizada, o Alface, a Farinha de milho e o Coco, foram os produtos cujo agravamento de preços teve maior impacto no total da inflação acumulada ao contribuírem com 4,26 pontos percentuais positivos.

Relativamente a igual período do ano anterior, os preços do mês em análise registaram um aumento na ordem dos 7,71%. A Divisão da Alimentação e Bebidas não alcoólica contribuiu no total da inflação homóloga com cerca de 5,82 pontos percentuais positivos.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!